Anúncios

Dicas sobre Veneza, a Rainha do Adriático

É bastante difícil falar de uma cidade tão turística, que a gente consegue encontrar informações de modo tão fácil. Mas Veneza é realmente muito especial, uma cidade que todo mundo deveria visitar pelo menos uma vez na vida e que por isso, merece destaque.

Veneza vista da famosa Ponte Rialto

Localizando a cidade:

Veneza é a capital da região do Veneto, uma cidade no nordeste da Itália situada sobre um arquipélago de 117 ilhas separadas por canais e ligadas por pontes. Muitíssimo famosa pela beleza de sua arquitetura e obras de arte.

Ela está localizada numa pantanosa laguna, que não é a mesma coisa que uma lagoa. Eu não sabia, mas Laguna é um corpo de água salgada ou salobra de origem marinha que se encontra separado do mar por breves formações rochosas, barreiras de areia ou por recifes. Uma boa parte da cidade está listada como um Patrimônio Mundial, juntamente com a sua laguna.

Mapa retirado do site Wikipedia

Um pouquinho de História:

A cidade foi a capital da histórica República de Veneza e é conhecida como “La Dominante“, “Serenissima“, “Cidade da Água”, “Cidade Flutuante” e “Cidade dos Canais”. A República de Veneza foi uma grande potência marítima durante a Idade Média e o Renascimento, além de ser um ponto de parada para as Cruzadas bem como um centro comercial muito importante (especialmente de produtos como seda e especiarias) e artístico entre o século XIII até o final do século XVII. Tamanha importância fez de Veneza uma cidade muito rica em quase toda a sua história.

Foto de Veneza com destaque para o leão: o símbolo da bandeira da antiga República de Veneza

Sua decadência começou com a queda de Constantinopla em 1453. Além disso, a descoberta do caminho marítimo para a Índia por Vasco da Gama (1498) e a descoberta da América por Cristóvão Colombo (1492) mudaram completamente as rotas de comércio e Veneza viu-se obrigada a sustentar uma luta esgotante contra os turcos otomanos. Com as guerras napoleônicas e o Congresso de Viena, a República foi anexada pelo Império Austríaco, até que se tornou parte do Reino da Itália em 1866. A cidade também desempenhou um papel importante na história da música e da ópera, sendo o local de nascimento de Antonio Vivaldi.

Pela Praça San Marco

Veneza hoje:

A cidade possui diversos canais e o meio de transporte mais utilizado são os Vaporettos (barco públicos). Sua população está em torno de 60.000 habitantes, e a cidade recebe em média 55 mil turistas por dia (20 milhões ao ano), e muitos moradores reclamam de um turismo predatório por aqui.

Turistas em Veneza

Sobre o turismo predatório em Veneza: Esse texto do blog Tá Indo Pra Onde é bastante esclarecedor e mudou meu ponto de vista sobre esse assunto.

https://www.taindopraonde.com.br/2017/08/descubra-veneza-autentica-invasao-turismo-massa.html

Em Veneza. E ao fundo vários cruzeiros de Turismo

Onde se Hospedar em Veneza:

Começo dizendo que é minha segunda vez na cidade, e que na primeira vez eu não tinha gostado (impossível não falar sobre isso já que mudei radicalmente minha opinião, e digo mais: desconfie de quem não gostou de Veneza). Haha. Estou falando isso porque a cidade é maravilhosa e charmosa, e se você não ficou encantada por ela, é porque você conheceu correndo, num tour que passou voando por ali.

Detalhes das sacadas em Veneza
Detalhes da linda Arquitetura

Na minha primeira vez por aqui achei a cidade lotada demais, quente demais, e eu não conseguia enxergar a sua verdadeira essência e riqueza. Atualmente eu considero Veneza como a cidade mais bela do mundo em termos de arquitetura (rivalizando com Praga e Barcelona nessa minha listinha.).

Então a dica principal é: Escolha com carinho aonde você vai se hospedar. Isso é fundamental e toda sua experiência na cidade vai depender dela. Por exemplo: Na primeira vez que eu vim pra cá, eu me hospedei em Mestre e não em Veneza propriamente dita. Mestre é o continente, ligado a Veneza por uma ponte. Apesar do hotel ter sido muito confortável, com um ótimo custo benefício, eu não ficaria aqui novamente (Hotel NH Venezia Laguna Palace).

Ah, e como tudo na vida tem vantagens, Mestre possui algumas, como por exemplo estar mais perto da estação de trem, então você fica muito mais confortável se você estiver com “malaiada” (como diz a minha mãe), então ali pode ser considerado como um lugar de melhor logística. Acredito que caminhar por Veneza com grandes bagagens pode ser desagradável. Algumas pontes têm rampa de acessibilidade para malas, carrinhos de bebê e cadeiras de rodas deslizarem, mas não são todas as pontes que possuem acessibilidade. Em Mestre as ruas são planas, sem pontes, então você pode pegar um ônibus ou taxi se o seu hotel for mais distante.

Perrengue Chique em Veneza.

Além disso, os hotéis em Mestre costumam ser mais baratos, novos e confortáveis, com quartos maiores e mais modernos, em relação ao centrinho histórico em Veneza. O hotel NH em Mestre que eu fiquei na primeira vez era 4 estrelas, com instalações excelentes, mas a sua diária custa 1/3 do valor de outro NH localizado no centro de Veneza. E sendo sincera, achei Mestre feia, sem nenhuma atração. Mas repito! Os preços aqui são muito melhores, com hotéis mais novos, então se você achar uma boa promoção (principalmente na baixa temporada- final do outono ou inverno) pode ficar ali bem feliz. Outra coisa importante de se pensar é que se você quiser explorar o Veneto, fazendo alguns “bate e volta”, como por exemplo Ravena, Treviso, Verona, Padova, etc, ficar em Mestre pode ser mais fácil, em relação ao seu roteiro. Pois se você estiver hospedado no centrinho de Veneza (ou em outra ilha), terá um pouco mais de trabalho para ir até a estação de trem para poder ir para as outras cidades.

Chegando em Veneza na estação de trem

Já nessa segunda vez na cidade fiz algo totalmente diferente: Fiquei em uma das ilhas de Veneza, num lugar que eu nem sabia que existia, menos turístico e muitíssimo bonito: o Lido di Venezia e não poderia ter localização melhor. Essa é a minha recomendação se você ficar aqui por mais tempo, com mais dias na cidade. Pois o Lido é muito interessante e bonito, mas não é o centrinho propriamente dito. Com a minha hospedagem no Lido eu não me senti uma turista e sim uma moradora da cidade ou alguém que se hospedou aqui para curtir um balneário italiano, e isso foi fundamental pra guardar tantas boas lembranças daqui. Teve dia que a gente pegava o barquinho pra voltar pro hotel, com os moradores (pois o número do nosso Vaporetto não era o mais turístico), e teve dia que a gente foi à praia, curtindo por aqui. No Lido as avenidas são largas, com ótimos restaurantes, bares e tudo que uma cidade te oferece, e a praia maravilhosa fica ali.

Praia de Veneza localizada no Adriático
Pelas ruas do Lido

Uma coisa que eu percebi é que os turistas que frequentam o Lido não são aqueles de “um dia só”, ou seja, que quer chegar à ponte do Rialto e à praça San Marco, e só. Não são aqueles que fazem bate e volta no mesmo dia, que desce do Cruzeiro, roda pelo centro e no final do dia volta pro navio. Eu tive a impressão que a maioria dos turistas do Lido são famílias italianas que estão afim de pegar uma praia por ali. E como o Lido tinha uma estação de barco a gente podia explorar as outras ilhas dali, tudo no nosso tempo.

Lido di Venezia

Nosso hotel dessa vez era o Belvedere, um hotel familiar super bem localizado, pois estava há 10 metros da estação de barco. Nosso quarto tinha vista para a Lagoa, era simples e antigo mas seguro e silencioso, com um bom café da manhã (tinha café descafeinado todos os dias), e funcionários super atenciosos. Recomendo demais.

café da manhã no hotel
Hotel Belvedere ao lado
Da estação de barco, vendo nosso hotel no Lido de Veneza
E do café da manhã vendo a estação de barco

Eu confesso que não fiquei nem um pouco arrependida de não ter me hospedado no centrinho dessa segunda vez. Principalmente porque eu estava com a Iara (1 ano e 1 mês na época), então não conseguiria fazer tudo corrido, tipo, acordar muito cedo e “bater perna” no centro. Além disso Veneza não é animada de noite (e mesmo que fosse, como estamos com neném, a nossa vida boêmia fica um pouco de lado), e ficar no Lido não atrapalhou nosso passeio noturno, quando a cidade está bem mais vazia (pois os Navios e ônibus já foram embora), e a iluminação é maravilhosa. A cidade consegue ficar mais misteriosa ainda.

O cair da noite em Veneza

Quando ir a Veneza?

Todo lugar que eu pesquisava pra vir pra cá contraindicava Veneza no alto verão (Julho e Agosto). Calor absurdo, preços lá nas alturas, gente demais, e dizem até que fede. Eu nunca vim pra Europa nesse período, mas imagino que deva ser assim mesmo. Na primeira vez que vim pra cá foi na primeira quinzena de setembro (é o mês que eu mais gosto de viajar pro velho mundo) e fez um calor gostoso, já nessa segunda vez, estivemos aqui na primeira quinzena de junho, e choveu alguns dias. :/

Dia de chuva em Burano – uma das ilhas de Veneza
Mas também pegamos dias lindos

Existe ainda o famosíssimo Carnaval de Veneza. Essa festa surge a partir da tradição do século XVI, onde a nobreza se disfarçava para sair e misturar-se com o povo. Desde então as máscaras são o elemento mais importante deste carnaval. Há no entanto registros de folguedos carnavalescos de 1268.

Vitrine em Veneza com máscaras à venda

A festa carnavalesca de Veneza tem duração de 10 dias. Durante as noites, realizam-se bailes em salões e as companhias conhecidas como Compagnie della Calza realizam desfiles pela cidade, então vir pra cá nessa época seria uma boa idéia, super diferente. Prepare as máscaras e o casaco porque estará bastante frio.

Souvenirs com o tema das máscaras do carnaval de Veneza

Como chegar em Veneza?

Nós viemos de Bologna, e o trem levou cerca de 1 hora e 30 pra chegar aqui. A estação de trem de Veneza que a gente desceu é a Santa Lucia, e recebe trens de várias cidades italianas e europeias. Eu acho sensacional andar de trem na Europa, e vir pra cá não foi diferente. Achei a estação bem localizada, já na ilha.

Nando e Iara na Estação de trem em Veneza -Santa Lúcia

Já na minha primeira vez na cidade eu cheguei em Mestre de ônibus de excursão, vindo de Padova e Florença.

Chegando em Veneza de ônibus

E depois fomos do hotel pro centro de Veneza de taxi-boat compartilhado, cerca de 30 euros por pessoa. Pesquisando pra vir pra cá constatei que o taxi boat privado (private watertaxi) era a opção mais cara (cerca de 120 euros pra 4 pessoas). Naquela vez fiz várias fotos na parte externa no barco porque era bem vazio.

Táxi barco. Você chega em Veneza fazendo um city tour

Já na segunda vez, com menos bagagem, preferimos pegar o barco público. Mais em conta.

Andando de Vaporetto em Veneza para chegar em nosso hotel

Então pegamos o Vaporetto/ACTV (o ônibus aquático público) para chegar no hotel no Lido . Compramos ali na hora um bilhete de mais dias e foi ótima essa opção, já que ficaríamos 5 dias na cidade.

Iara andando de Vaporetto.
Placa com preços e informações turísticas sobre Veneza e o Vaporetto

Minha sogra chegou de avião diretamente do Brasil no aeroporto de Veneza, chamado Marco Polo – VCE. Ela fez uma rápida conexão em Roma (porque não tem vôo direto) e chegou aqui. Mas você pode vir pra cá fazendo uma conexão em outras cidades europeias, pois o aeroporto recebe vôos de vários lugares. No aeroporto ela pegou um ônibus até a Piazzale Roma (além dos ônibus ali chegam os navios de cruzeiro), próximo da estação de trem Santa Lucia. O ônibus gastou cerca de 30 minutos e custou 8 euros por pessoa. Então depois ela pegou mais um Táxi-boat e chegou no Lido.

Lembre-se que se o seu hotel for no centrinho histórico você terá a opção de, além do Vaporetto e do taxi-boat privado, ir simplesmente caminhando, pois Veneza tem ligação através das inúmeras pontes (mas lembre-se que, com malas, pode ser um transtorno por causa dos degraus). Maiores detalhes de horários ou outros meios de transporte, acesse o excelente post do Viaje na Viagem.

Informações básicas:

Apesar de não precisar de visto para entrar na Itália e União européia, por enquanto, apenas passaporte válido, é bom ter passagem de ida e de volta, com as reservas de hospedagem (já me pediram algumas vezes e outras vezes não, então nunca se sabe. Na dúvida sempre tenha) e um Seguro de Saúde internacional obrigatório exigido na Europa pelo tratado de Schengen. Pode fazer a cotação de um na SegurosPromo, com ótimos preços e opções pelo meu link promocional.

E aí, gente? Consegui convencer vocês que Veneza é maravilhosa e merece uma visita? Não percam os próximos posts sobre a cidade aqui no Blog

Europa Itália

Anúncios

2 comentários Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Travel Around the World

Vem descobrir o Mundo connosco...

CONTO EM DETALHES

Crônicas, histórias, poesias e percepções.

Elizabeth Werneck

Um blog para falar sobre viagens e outros assuntos

WordPress.com

WordPress.com is the best place for your personal blog or business site.

%d blogueiros gostam disto: