Visitando os templos e voando de balão em Bagan, Myanmar

Como eu disse no texto anterior, a zona arqueológica de Bagan fica ao longo das 3 cidadezinhas de Old Bagan, New Bagan e Nyaung U, que ficam bem próximas umas das outras, nas margens do Rio Irrawaddy. Quando a gente chegou ao nosso hotel pedimos para eles providenciarem um “city tour” ou melhor um “templo tour” para mais tarde. Eles nos deram um mapa também, e constatamos que existiam atrações próximas e outras longes.

Para se locomover por entre os templos de Bagan

Tem viajante que aluga carroças puxadas por cavalos, mas a maioria dos turistas alugam bicicleta elétrica/ Scooter Elétrica (que tem o limite máximo de velocidade de até 45 km/h) e saem por aí desbravando o lugar por conta própria. É a forma mais eficiente, mas optamos por um carro com um guia para mostrar pra gente os principais Pagodas e Templos já que estávamos em 5 e com uma bebê.

Uma vantagem de fazer esse passeio por conta própria com um mapa na mão é que vira uma brincadeira de caça ao tesouro. Você vai pilotando pelas trilhas de terra até chegar em algum templo que te interesse.

Templos de Bagan

Impossível conhecer todos, são mais de 2000. Mas existem alguns que chamam a atenção pelo tamanho, ou pela beleza extraordinária. No próprio Google maps tem os principais templos marcados com fotos.

E no meio da cidade mesmo você já encontra alguns por ali.

Templo sem nome, e sem indicação nos mapas.

O nosso primeiro templo visitado foi um próximo ao nosso hotel Zfreeti

Pagode Shwezigon, Nyaung-U, Myanmar (Birmânia)

Esse complexo de Pagodes e templos também é um monastério e possui muitos detalhes em ouro. Simplesmente lindo!

Foi construído no ano 1059 pelo primeiro Imperador de Bagan. Sua estupa tem forma de sino e é banhada a ouro.

Nela está contida importantes relíquias sagradas do budismo e é um importante local de peregrinação.

Inclusive no dia que estávamos em Bagan era um importante feriado nacional, e a cidade estava lotada de birmaneses vindo de outras regiões do Myanmar.

Logo na entrada tem muitas barraquinhas com bonitos artesanatos, que leva ao templo.

Aí depois do almoço começou nosso tour e a primeira parada foi:

Alodawpyae Pagoda, Nyaung-U, Mianmar (Birmânia)

Dentro desse templo relativamente pequeno e humilde existem imagens e estátuas centenárias. É uma loucura pensar que elas não estão protegidas.

Construído no início do século XII, o templo é notável por sua estrutura antiga e várias pinturas, e é um popular local de peregrinação. Estava em reforma quando visitamos e o nome do templo se traduz em “Realização de desejos”.

Crianças e seus papais

Depois seguimos para

Htilominlo temple, Nyaung-U, Mianmar (Birmânia)

Construído durante o reinado do rei Htilominlo, entre 1211 e 1231. O templo tem três andares, com 46 metros de altura e foi construído com tijolos vermelhos.

Também é conhecido por suas molduras de gesso elaboradas. No primeiro andar do templo, há quatro Budas que ficam nas entradas em cada lado.

O templo foi danificado no terremoto mas está sendo reparado.

Esse chão aqui deve ter sido colocado na época da ditadura militar pois achei bem descaracterizado.

O que significa Htilominlo? Hti (guarda-chuva) min (rei) lo (desejo ). “Rei escolhido pelo guarda-chuva”! Segundo a lenda Htilominlo foi escolhido rei quando seu pai colocou seus cinco filhos, em círculo, com um guarda-chuva no centro. Aí para onde o guarda-chuva inclinasse este filho seria o novo rei. Ah, ao lado dos budas , no templo, há guarda-chuvas.

Depois chegamos num lugar que tinha um conjunto de Templos e pagodes :

Einyakyaungngamyethna Temple e Khaymingha Pagoda, Nyaung-U, Mianmar (Birmânia)

Existem vários edifícios aqui. Eles têm em comum é que eles foram feitos por pessoas relativamente comuns, e não por reis ou pelos ricos. Assim, são modestos se comparado a algumas das grandes estupas ou templos. No entanto, juntos representam um grande espetáculo muito bonito de se ver. É realmente muito impressionante. Existem muitas estruturas em um pequeno espaço.

Depois rumamos para o

Ananda Phaya, Nyaung-U, Mianmar (Birmânia)

É uma verdadeira jóia da arquitetura! Um dos mais famosos, sua visitação é obrigatória, principalmente pela beleza da construção e simbolismo. Foi construído em 1105, ele é enorme! Tem forma de uma perfeita cruz grega, e tem várias galerias. No interior do templo estátuas de Buda, uma delas inclusive, o Buda Kassapa! Feito em madeira dourada, se olhar bem de perto ele tem uma feição séria, já de longe parece sorrir de modo pacífico… Acho bem significativo pra quem vem pra cá meditar, observando a magia e a espiritualidade do lugar.

Coberto por um guarda-chuva conhecido como hti, que é o guarda-chuva ou enfeite encontrado no topo em quase todos os pagodes em Myanmar. Os afrescos pintados são preciosos. Sempre falo sobre a importância em preservá-los para sempre! Missão tanto para esse país, quanto para o mundo também.

Pausa para a foto com os fãs

Continuamos a nossa expedição e chegamos ao

Thatbyinnyu Temple

Visita aos templos de Bagan coincidente com um importante feriado nacional em Myanmar.

Esse templo tem 61 metros de altura, e é o mais alto em Bagan.

Construído em meados do século XII (contemporâneo ao Templo de Ananda). Ele possui dois andares, e se diferencia dos outros grandes templos por não possuir nenhuma estátua de Buda na sua entrada principal. Existe uma estátua restaurada do Buda sentado, na clássica posição de Bhumisparsa, que encontra-se no segundo piso com a sua face virada para o leste.

O seu tamanho e a localização central do templo garantiram que ele fosse sempre utilizado para fins religiosos, o que não ocorreu com templos menores ou mais afastados.

Depois chegamos ao

Templo Sulamani

Foi construído no fim do século XII pelo rei Narapatisithu (1174-1211) e nele tem características de todos os outros grandes templos.

É um dos mais visitados. É chamado também de Jóia da Coroa. Reza a lenda que o rei encontrou um pequeno rubi nesse local antes da construção, então Sulamani significa pequeno rubi. Nos corredores dentro encontram-se afrescos e murais de várias dinastias, é sensacional!

Além desses templos visitados outros com grande importância também são os SHWESANDAW PAGODA, e DHAMMAYANGYI TEMPLE), então se eu tivesse mais tempo, com certeza eles não ficariam de fora.

Mas lembre-se, o surrealismo e a magia do lugar está simplesmente em sair sem rumo para encontrar um templo vazio com vários Budas de diferentes tamanhos e formas.

Bagan, com 2000 diferentes templos encontre um para chamar de seu. ❤️

O sítio arqueológico de Bagan tem dois grandes momentos para os turistas: o nascer e o pôr do sol.

Pelas pesquisas que eu fiz muitos turistas nesses 2 momentos entram nos templos e sobem para observar o sol dali. No entanto, em 2017 o governo proibiu os viajantes de subir nos templos, mas muitos não respeitam e como não tem vigia nem policiamento fica a cargo da consciência de cada um.

Então assistimos o pôr do sol do alto de uma pequena colina e foi muito agradável.

Bagan é mais impressionante vista do alto, então se você conseguir ver a paisagem de cima, sua experiência é automaticamente enriquecida.

Levamos isso muito a sério e

Vimos o pôr do sol da Torre de Observação do Aureum Palace Hotel

Vendo o Monte Popa da Torre de Observação

Chamada de Nan Myint Tower Bagan, é uma torre de mais de 60 metros que te dá uma vista espetacular do local.

A vista é incrível. Lá em cima tem um bar e não tem coisa melhor assistir ao por do sol tomando um drink. Hóspedes do hotel Aureum Palace tem desconto para subir.

Muito lindo ver a paisagem sob as diferentes variações de luz solar. O momento se transforma numa pintura impressionista num céu de algum planeta distante. Puro Surrealismo.

Paisagem dramática com diferentes tons de dourado

Nascer do sol voando num balão sobre Bagan

Realizei um sonho maravilhoso e fiquei emocionada do primeiro momento até o último. Voar de balão é realmente incrível!

Se você também sonha em um dia fazer um passeio de balão aqui, tem algumas dicas que vamos te passar para você se programar.

Quando voar de balão em Bagan, Myanmar?

Na temporada de monções que vai de abril a setembro os vôos costumam não acontecer. Ou seja, se você quiser voar é bom se organizar pra vir pra cá de outubro a março. Cheque as datas exatas.

Ah, e existe também a possibilidade de seu vôo de balão em Bagan ser cancelado na última hora, por causa de chuva ou outra intempérie. O piloto analisa se vai ocorrer o passeio no dia mesmo. Por exemplo, naquele dia que a gente chegou em Bagan os balões não voaram por causa do mau tempo. Aí contratamos para o dia seguinte torcendo para ter. Com segurança não se brinca, e não tem nem o que ponderar. Mas fique tranquilo porque nesses casos, eles devolvem todo o dinheiro.

Balões coloridos no céu da Birmânia

Bagan é uma das melhores e mais seguras regiões do planeta para se passear de balão!

Eu sugiro reservar com antecedência se você puder, porque imagina se não tiver vaga!? Eu tentei reservar com antecedência do Brasil, mas não consegui. Mas fique tranquilo, existem 3 agências, então você pode também contratar na hora, como no nosso caso.

É importante dizer que a gente quase não conseguiu vaga na empresa que a gente queria, pois, como no dia anterior não teve passeio, as pessoas que não voaram iriam voar no dia seguinte, no dia que a gente queria. Por isso é melhor reservar com antecedência se for uma coisa que você realmente queira fazer.

Como eu já disse, são três empresas que fazem esse passeio. A nossa, com os balões vermelhos, chamada Balloons Over Bagan (BOB). Achei o trabalho deles muito profissional e competente.

Balões da nossa agência escolhida Balloons Over Bagan

Tem também a Oriental Ballooning com os balões verdes

E por fim a Golden Eagle, com os balões amarelos

Eu acredito que todas seguem os padrões de segurança internacionais. O nosso piloto disse que foi treinado na Europa.

Escolhemos o passeio que dizia ter até 16 pessoas por balão com direito a fotos, um cafezinho da manhã antes de voar, uns comes e bebes depois de voar, espumante e um certificado de vôo. Ah, e ganhamos também 1 boné lindo da empresa.

Nossa experiência em vôo de Balão em Bagan

Um ônibus super lindo vintage passou para nos buscar às 5h00 da matina. Ainda estava tudo escuro. Então chegamos num campo enorme, cheio de gente organizando os vôos dos balões.

Ônibus vintage lindo

Chegamos no local marcado e o piloto com a sua equipe nos esperava com uma mesa com café, chá e alguns biscoitos. Enquanto a gente tomava o café dois pilotos fizeram uma chamada para organizar os grupos. O nosso piloto era um espanhol, muito gente boa, que disse ter muita experiência, já tendo pilotado balão no Masai Mara, na África. #jáquero

Aí, eles nos deram para ler sobre as instruções de segurança para a decolagem e aterrizagem. As instruções estavam em todas as línguas (até Português), e aí os balões começaram a ser inflados.

Quando estavam finalmente cheios entramos em nosso lindo balão, que estava completo, com as 16 pessoas. Além de ser alta temporada, no dia anterior não teve vôo, então acredito que seja por isso que estava na capacidade limite.

Nosso ônibus com os balões

Então começamos a subir, subir. Confesso que no início, na hora das instruções de segurança, fiquei um pouquinho insegura. Além disso, a subida foi bem suave, sem nenhum tranco nem movimento brusco. Sem contar que estava morrendo de medo de sentir um calor desconfortável em função do fogo do Balão. Eles dão esses bonés justamente porque tem gente que se incomoda. Com boné ou sem boné o calor não me incomodou nada. E olha que eu me considero sensível. Rsrs.

Além disso a empresa escolhida era muito bem conceituada. O piloto do Balão disse que essa empresa nunca teve um acidente, e isso me deixou bem mais tranquila ainda.

Na decolagem e aterrizagem é preciso sentar no chão do Balão por segurança. Tremenda emoção!

É uma sensação indescritível experimentar um novo meio de transporte pra mim, e o mais antigo veículo aéreo da história da humanidade.

E nessa hora fomos vendo tudo se afastando, ficando pequenininho, numa subida rápida, estável e suave, sentindo o ventinho frio do dia que acabava de chegar.

Aí eu já nem lembrava mais do medinho que eu estava. Fui tomada por um sentimento de gratidão que não saiu de mim até hoje.

Inesquecível essa paisagem nesse momento
O lindo ônibus vintage parece brinquedo da Iara daqui de cima. Ah, em falar em Iara….
…ficou no quarto dos avós. Meus pais sempre foram uma excelente companhia, principalmente em viagens. Agora com a Iara, então! Eles salvam a pátria! Se eles não estivessem com a gente, eu e o Fernando iríamos ter que voar em dias diferentes, pois, crianças tão novinhas assim não podem voar de balão.

Então ficamos uns 50 minutos em vôo. Contemplando a natureza, sobrevoando templos, pagodas, monastérios, plantações, demos tchauzinho para as pessoas lá embaixo, e principalmente para as crianças que estavam em suas casas, e cumprimentamos até os viajantes dos outros balões, que passavam pela gente.

E assim um dos pilotos/guia ia explicando tudo: ele tinha um aparelho com toda a rota de vôo programada e também uma espécie de “walk talk” para se comunicar tanto com os pilotos dos outros balões, sobre as informações de vôo, como velocidade, distância, altura, quanto com a equipe em terra firme, dizendo a direção que o vento estava nos levando para saber exatamente onde eles iriam nos pegar depois que chegássemos em solo.

Foto tirada pela empresa! Nossa turma pelos ares birmaneses

Quanta organização e segurança!

Não contamos exatamente quantos balões tinham, mas parecia ser cerca de 30, pois, só nessa foto aqui aparece uns 27.

Eu contei 27 balões nessa foto. E você?

Então já na hora de descer, de acordo com os procedimentos de segurança aprendidos no início, nos sentamos com as costas no cesto do balão, e não vimos nada. Nós pousamos em um campo bem grande ao lado do majestoso rio da cidade. Nessa hora confesso que me senti um pouco insegura de novo, mas a descida foi realmente muito suave.

Nós pousamos na margem direita do rio. Mas, se liguem nesse balão aí…

Aí quando saímos do balão vários birmaneses estavam lá, nos esperando com seus artesanatos para o comércio.

Ficamos esperando por ali o pessoal da equipe vir nos “resgatar”. Esse momento foi muito legal: enquanto a gente comemorava o vôo com comes e bebes (e champanhe) a gente observava os outros balões pousarem.

Já em terra firme!

Esse aqui deu um rasante no Rio:

Tá tão baixinho que parece ter pousado no Rio

Já esse aqui pousou meio tortinho em cima de um montinho de areia, achei uma tremenda aventura. Rs

Mas repito, nenhuma dessas situações ameaçou a segurança do passeio.

Então ficamos batendo papo com o piloto enquanto nossa equipe cruzava o rio em canoas para “desmontar” o balão, e pra gente voltar pro hotel.

Então andamos de jangada também e foi incrível, super inesperado. Nunca iria imaginar que nosso passeio de balão teria um passeio de barco incluído. Já compensou o preço. Hahaha.

Navegando pelo Rio Irauádi

Dica de Ouro: se você não for ao passeio de balão por sua própria falta, nenhuma das empresas faz o reembolso. Dessa forma, para não correr esse risco de ter algum imprevisto, permaneça em Bagan por no mínimo uns 4 dias, e marque o passeio para o segundo dia.

Meu marido já teve a oportunidade de voar de balão no Egito também, e ele recomenda os 2 passeios. Nenhum substitui o outro, sendo diferentes entre si.

Nascer do sol vendo os balões no céu de Bagan

Nossa! Os dias em Bagan foram intensos!

No dia seguinte estávamos lá acordando bem cedinho para assistir os balões no céu por entre os templos.

Apareceu um balão timidamente, e…

E assim foi. E o bacana foi que um dia eu estava lá no céu voando de balão, e no dia seguinte, eu estava em terra firme, com a minha família vendo os balões no céu. Cada experiência mais memorável que a outra. Minha filha, com pouca idade vendo uma coisa tão rara ao vivo. Aqueles balões dos livrinhos estavam ali na frente dela, e tenho certeza que ela achou demais, também! Sempre mostro as fotografias pra ela para treinar a sua memória e assim ela vai sempre lembrando desses momentos.

Depois o céu estava tomado por eles! Coisa linda! ❤️

E assim passamos nossas férias! Entre templos, balões e muito amor!

NÃO SE ESQUEÇA DE CONTRATAR O SEGURO VIAGEM!

Faça uma cotação sem compromisso neste link que já inclui o cupom ELIZABETHWERNECK que garante o desconto de 5% na compra do seu seguro viagem!

Acompanhe minhas viagens em tempo real pelo Instagram >>@elizabethwerneck

Se você gosta das dicas do blog, ajude na sua manutenção, reservando seus hotéis e pousadas pelos links daqui. Isso não aumenta em nada o valor da sua reserva e gera um pequeno percentual revertido para o blog 😉

🛏 Pesquisando por hotel? Dê uma olhadinha no Booking.com! Você não paga nada a mais pela reserva, pode alterar e cancelar quando quiser, e ainda consegue os melhores preços.

Ásia Myanmar

6 comentários Deixe um comentário

  1. Elizabeth que passeio maravilhoso no balão. Sua princesinha faz o maior sucesso pelas fotos a gente observa isto.

  2. WOW. Aterrissou na areia. Eu fiz 3 vezes o passeio de balão em Bagan, mas nunca cheguei lá. Espero que da próxima vez eu também chegue lá!

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: