Colônia del Sacramento, Uruguai: visita ao passado histórico

Um dos destinos mais populares dos brasileiros, Buenos Aires, ainda encanta. A capital do nosso maior vizinho tem inúmeras atrações e conquista nosso coração com sua bela arquitetura, sua excelente gastronomia e sua rica cultura. Mas se você já “bateu ponto” nas principais atrações por aqui, sugiro o passeio até Colonia del Sacramento, no Uruguai.

Localizando Colônia del Sacramento

É uma cidade do Uruguai, capital do departamento de Colônia.

Descendo essa rua chega-se na Orla.

A localização da cidade é estratégica para receber turistas, uma vez que se encontra do outro lado da margem do Rio da Prata, a uma hora de barco desde Buenos Aires (e foi assim que viemos) e a duas horas de carro desde Montevidéu.

Google Maps

As pessoas aproveitam essa cidade, com seus museus e praias do Rio da Prata para descansar das cidades grandes.

Ah, essa mistura única de arquitetura portuguesa e espanhola faz da cidade Patrimônio histórico e cultural pela UNESCO.

Colônia del Sacramento, Uruguai. Em dias claros como esse, lá do alto do farol é possível ver os prédios enormes de Buenos Aires na Argentina.

Como chegar à Colônia del Sacramento desde Buenos Aires

Fomos de Buquebus, e a travessia durou cerca de 1h. Mas atenção, pois existe outros barcos lentos que dura 3h. São vários horários, e todos os buques carregam carros.

Indo de Buenos Aires para Colônia del Sacramento, Uruguai. Dentro da Enorme embarcação

Essa agência também vende passagens pra Montevideo e Punta del Este, também no Uruguai.

Compre no site oficial do Buquebus por aqui.

Na área externa do barco

Um pouco da história de Colônia del Sacramento

Essa cidade foi disputada a tapa e fogo pelos Impérios Português e Espanhol pelos séculos XVII e XVIII, e assim eles iam construindo e destruindo a cidade.

Alguns anos após o Descobrimento do Brasil, uma expedição comandada pelo português Martim Afonso de Sousa, navegando pelo Rio da Prata, chegou com suas caravelas por aqui, e tinha como missão demarcar essa área, porém, naufragou antes de fazê-lo.

Navegando pelo Rio da Prata.

A Coroa Portuguesa expressou novamente interesse por essa terra, quando determinou ao governador da capitania do Rio de Janeiro, D. Manuel Lobo (1678-1679), que fundasse uma fortificação por lá. Desse modo, com o apoio dos comerciantes do Rio de Janeiro, essa expedição alcançou a bacia do Prata em 22 de janeiro de 1680, fundando Colônia do Santíssimo Sacramento, perto de Buenos Aires, na margem oposta.

Portão de Pedra e ponte levadiça de madeira que liga o antigo forte a um bairro histórico. Colônia del Sacramento, Uruguai.

As autoridades espanholas acharam os portugueses afrontosos: rapidamente em pouco tempo o governador de Buenos Aires reagiu, e o núcleo português foi conquistado por tropas espanholas e indígenas. Porém, através de negociações diplomáticas, a posse da Colônia foi devolvida a Portugal pelo Tratado Provisional de Lisboa em 1681, que se manteve no poder até 1705, quando a Espanha os dominou de novo em 1715.

Porém, em 1817 Colônia do Sacramento voltou novamente à posse de Portugal, quando D. João VI incorporou toda a região do Uruguai aos domínios de Portugal no Brasil.

Com a Independência do Brasil (1822), a Colônia passou a integrar os domínios desse novo país até à Independência da República do Uruguai, em 1828, sendo sua cidade mais antiga.

Basílica del Santísimo Sacramento.

Essa cidade é lembrada como fortificação importante para defesa da fronteira sul da América Portuguesa. Mas tem também um grande caráter comercial.

Entre os produtos comercializados, estavam escravos africanos, que eram vendidos pelos portugueses aos espanhóis, além de produtos brasileiros como o açúcar, o tabaco, o algodão, além de manufaturas europeias, em troca da prata peruana.

Propaganda de produtos comercializados hoje em dia em Colônia. rsrs

Colônia del Sacramento atualmente

Impossível não lembrar da nossa bela e preservada Paraty, no Rio de Janeiro, Brasil.

Não tem nada nessa cidade, de cerca de vinte quarteirões, que lembra o século XXI. Colônia entraria fácil pra minha lista de cidades pitorescas, pois conserva ainda o ar dos tempos passados.

Rua arborizada em Colônia.

Durante o passeio aqui pudemos constatar que a maioria da arquitetura é colonial espanhola ou neoclássica. Pouco resta da inspiração portuguesa: algumas casas, outros mosaicos em azulejos, e o calçamento pé-de-moleque, por exemplo.

Nós almoçamos no Hotel de Campo Wood & Wine, fora do centrinho histórico. O almoço era parrillada, com espumante e vinho da casa incluído e estava bem gostoso.

O vinhedo era incrível, ambiente lindo, rústico, jardins perfeitos, com paisagens inesquecíveis.

Lindo dia para se visitar uma vinícola no Uruguai

Colônia está cheia de lojinhas, galerias, pousadas, bares e restaurantes charmosos.

Pelas ruas de Colônia del Sacramento, Uruguai

A cidade tem um museu bastante conceituado, o Museu Municipal Português, mas não se atenha apenas a isso, e sim passeie sem destino.

Ou seja, o gostoso é caminhar com calma, pelas ruas e pela orla, tirar inúmeras fotos, do farol, dos canhões e do forte, tomar café ou uma taça de vinho. Inclusive aqui é a terra de grandes tannats, a casta que se tornou símbolo do país, mas tem também ótimos brancos, excelentes tempranillos e pinots noirs maravilhosos.

Plaquinha divertida em “A la Pipetuá Bistro”. Calle De San Francisco, 70000 Col Del Sacramento, Departamento de Colonia, Uruguai

Colônia além de ter uma praça principal super agradável, Plaza Mayor, a imensidão do Rio da Prata te seduz, principalmente durante o pôr do sol.

A rua mais famosa chama-se Calle de Los Suspiros. Mas, como suspirei de alegria estando aqui, acho que todas as ruas poderiam ter esse nome.

Um lugar que só passamos e que achei inusitado foi a Plaza de Toros Real de San Carlos.

Inaugurada em 1910, foi sede de apenas 8 corridas e nunca mais foi usada como praça de touros (as touradas foram proibidas pelo governo em 1912). Hoje corre risco de cair, por isso a entrada é proibida. Mas vale dar uma olhada por fora, é no mínimo curioso.

Avenida Nicolás Mihanovich, a 5 km do centro histórico, seguindo na direção norte pela orla.

Vale a pena passar a noite na cidade?

Nós fomos e voltamos de Buenos Aires. Era um domingo, e ficamos em dúvida se valia a pena repetir a Feira de San Telmo, ou conhecer Colônia. Optamos pela segunda opção. Chegamos próximo do almoço, e fomos embora no barco das 19 horas. Lembrando que fomos no verão e o sol custou a se pôr. Foi muito tranquilo o deslocamento, e com certeza navegar fez parte do passeio.

No entanto, eu gostaria muito de ter dormido aqui pelo menos uma noite. Curtir algum restaurante gostoso, beber um vinho às margens do rio da Prata, sem pressa de ter que pegar o barco, mas isso realmente vai do tempo, do ritmo e do estilo que você tem. A gente não tinha esse tempo todo, pois já iríamos para Bariloche no dia seguinte cedo.

Chegando de Colônia del Sacramento ao porto de Buenos Aires à noite.

Eu particularmente acho que a iluminação noturna deixa tudo com ares misteriosos e mais interessante, então acho que vale a pena pernoitar por aqui sim.

Américas Argentina Uruguai

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Travel Around the World

Vem descobrir o Mundo connosco...

CONTO EM DETALHES

Crônicas, histórias, poesias e percepções.

Elizabeth Werneck

Um blog para falar sobre viagens e outros assuntos

WordPress.com

WordPress.com is the best place for your personal blog or business site.

%d blogueiros gostam disto: