Conheça Paraty, a Veneza Brasileira

Cidade do litoral do Estado do Rio de Janeiro, Paraty é uma verdadeira joia da história brasileira.

Vista de Paraty a partir do mar. Em destaque, a Igreja de Santa Rita de Cássia. Foto retirada do site Wikipedia

Vocês sabiam que Veneza, Itália, é a cidade mais famosa do mundo? A cidade está situada em um grupo de ilhas separadas por canais e rios (falei mais sobre ela aqui). De modo semelhante, São Petersburgo, também na Europa, é conhecida como “Veneza do Norte”. Mas você sabia que a América do Sul também tem uma Veneza para chamar de sua?

A cidade de Paraty é uma cidade na costa do Oceano Atlântico, e frequentemente chamada de “Veneza Brasileira”.

Pelas ruas alagadas de Paraty, Brasil

Foi dado esse apelido carinhoso porque no passado todo transporte de produtos no Brasil colonial era feito por animais, como por exemplo, as fortes mulas. Dessa forma, para que a cidade, que tinha o maior porto do país naquele momento, não se tornasse um grande reservatório de estrume, os arquitetos fizeram o calçamento um pouco abaixo do nível do mar. Resultado: quando a maré alta invadia as ruas todo cocô era levado para o mar “limpando a cidade”.

Os moradores locais dizem que em junho, julho e agosto, a maré sobe mais do que nos outros meses, com picos acontecendo nos horários próximos ao meio-dia e meia-noite.

Por isso, nas marés extremamente altas, as ruas ficam completamente inundadas e fazem da cidade a “Veneza Brasileira”.

Está faltando gôndolas por aqui, né? Foto retirada do site G1

Nas muretas que cercam o Centrinho Histórico existem algumas passagens para a entrada de água, que sempre inunda algumas ruas. Esse fenômeno é considerado um grande atrativo turístico, sendo bastante registrado por turistas e moradores.

A cidade colonial de Paraty e Ilha Grande (que eu dei algumas dicas aqui) foram declaradas Patrimônio da Humanidade pela Unesco por sua mistura única de riquezas históricas e naturais. Feito inédito na América Latina.

Natureza exuberante na Costa Verde do Rio de Janeiro.

Ou seja, patrimônio natural pois está entre quatro áreas protegidas de Mata Atlântica, em especial a Serra do Mar, e patrimônio cultural especialmente em função da cidade de Paraty, um dos destinos principais do Caminho do Ouro no século XVII.

Algumas festividades em Paraty

No mês de maio a comemoração religiosa chamada Festa do Divino atrai turistas e devotos do país inteiro, com muita música e tradições populares.

Apresentação folclórica pelas ruas de Paraty. Foto: Taiane Sartorello

Jazz Bourbon Festival Paraty. Um dos mais charmosos festivais de música acontece também no mês de maio.

Festival de Jazz pelas ruas de Paraty
Foto: Taiane Sartorello

No mês de julho tem a famosa Festa Literária Internacional de Paraty (FLIP) que ocorre todos os anos no centrinho histórico, reunindo escritores e público com festa e diversão.

Foto: Taiane Sartorello

O ano inteiro tem festas por aqui, então acesse o calendário de eventos da cidade.
http://www.paraty.com.br/calendario.asp

Dando a sorte de visitar Paraty durante um Festival de Cinema e Animação

Um pouco da história da cidade:

Em meados do século XVII, os colonizadores portugueses fundaram um assentamento que se tornou um reduto para a conquista do país. Em 1695, uma dessas expedições acidentalmente encontrou ricas minas de ouro no estado de Minas Gerais e o assentamento Paraty se tornou um dos principais portos e o centro da “corrida do ouro”. Daqui os navios galeões carregados de ouro e diamantes iam direto para Portugal. Por um lado, impulsionou o desenvolvimento da cidade, mas, por outro, a área chamou a atenção de piratas. Como resultado, o porto exportador foi transferido para o Rio de Janeiro, que era uma cidade maior e mais segura. Paraty, por sua vez, tornou-se uma simples cidade provinciana.

Foto de época. Imagem retirada do site ParatyOnline

Quando você vem pra cá parece que o tempo parou. O centro antigo foi preservado e os prédios cuidadosamente restaurados. Agora Paraty é uma espécie de museu a céu aberto que revela a história da arquitetura e da urbanização no período colonial.

Igreja Nossa Senhora do Rosário e São Benedito, Paraty, Rio de Janeiro, Brasil.

O centrinho histórico é fechado para carros, e as ruas todas de pedras de época (então se você tem mobilidade reduzida ou um carrinho de bebê, tenha paciência e muito cuidado ao andar pelas ruas da cidade, e nada de sapatos com salto), e as casas são todas charmosas.

Além desse centro que nos leva à época do império, a cidade está rodeada por bonitas montanhas, que serpenteiam gradualmente até o mar.

O nome Paraty é indígena e significa “rio dos paratis”, pela junção de parati (parati) e ‘y (rio). “Parati” é tanto uma espécie de peixe quanto uma variedade de mandioca.

Atrações de Paraty

Passeie pelo centro histórico:

A igreja principal da cidade é a Catedral de Nossa Senhora do Remédios. Construída no final do século XVIII principalmente para cidadãos ricos que conseguiram fazer fortuna na época da corrida do ouro. Observe as luxuosas casas no entorno da praça.

Catedral de Nossa Senhora do Remédios. Foto retirada do site Wikipedia

Naquela época, a diferenciação social em Paraty era dramática: os escravos tinham que visitar a menor igreja da cidade, chamada Igreja de Nossa Senhora do Rosário, localizada na rua da Rua do Comércio. Enquanto isso, o povo nobre preferia a requintada Capela de Nossa Senhora das Dores, perto da costa. Já a igreja mais antiga de Paraty é a Capela de Santa Rita, construída em 1722 para os negros. A frente do edifício é considerada o exemplo perfeito do barroco português.

Igreja Santa Rita e Museu Arte Sacra, Paraty, Rio de Janeiro, Brasil.

Passeios de Barcos em Paraty

Foto: Gisele Carpin

Eu já fiz um curso de mergulho com cilindro em São José dos Campos para mergulho independente, e apesar de não ter terminado, saímos de barco por aqui para realizar o “batismo”.

Águas do mar em Paraty.
Foto: Taiane Sartorello

O batismo (ou “discover scuba dive”, em inglês) é tipo uma amostra de mergulho, que dura cerca de quatro dias e ensina a pessoa a se virar embaixo d’água. E Paraty é excelente para a prática desse esporte.

Há também o Passeio de Escuna, sendo bastante famoso, e te leva rumo às belas praias e ilhas da região. Geralmente, ele pode durar o dia todo ou meio período. A dica é perguntar o que está incluído, como água, lanches etc. Durante o passeio você pode fazer trilhas, mergulho de snorkel, etc.

Cachoeiras em Paraty

Um passeio bacana é visitar a Cachoeira da Pedra Branca, na estrada que liga a cidade de Cunha-SP a Paraty-RJ. O ingresso dessa atração pode ser comprado na cidade, pois a cachoeira é propriedade privada. A cachoeira é linda, e por ter pequenas quedas d’águas, são perfeitas para banho.

Foto retirada do site Paraty.com.br
Endereço: Estrada Paraty-Cunha. Após a Ponte Branca, Segue-se à Direita, até o Final. Paraty, Estado do Rio de Janeiro, Brasil

Já a Cachoeira do Tobogã também está localizada na Estrada entre Cunha e Paraty, e também é possível contratar um passeio na cidade para lá. A cachoeira tem um tobogã natural, por isso do nome.

Localização: Estrada Paraty-Cunha, no bairro da Penha. Foto retirada do site paraty.com.br. Coordenadas para colocar no GPS: 23° 12′ 49,20″S 44° 47′ 33,15″W

Como chegar: A partir do trevo de Paraty, seguir em direção a Cunha por cerca de 7,5 Km. Do lado direito da estrada tem um marco da Estrada Real, e ao lado uma grande pedra com uma igreja em cima chamada Igreja da Penha. Siga a pé por uma pequena trilha que começa atrás do Centro de Informações Turísticas do Caminho do Ouro, e você chegará à Cachoeira do Tobogã. Próximo à cachoeira há um bar, restaurante e alambique artesanal de cachaça.

Algumas Praias de Paraty

A cidade é um complexo histórico significativo da arquitetura colonial. Além disso, são mais de 120 opções entre praias e ilhas capazes de conquistar o coração dos amantes do mar! Difícil será conseguir conhecer todas elas. E não falo apenas por ser inúmeras opções, mas também porque quase nenhum desses locais está localizado próximo ao Centro Histórico.

Praia do Sono, Paraty

Praia do Sono, Foto e informações: Gisele Carpin

Essa praia é um grande tesouro escondido. Quem lembra do orkut? Pois é, eu estava na comunidade “Eu fui e voltei da Praia do Sono pela trilha”. Ela fica entre Ubatuba e Paraty – mais precisamente na estrada que liga Paraty à Trindade.

Praia do Sono, no fim de Tarde. Foto e informações: Gisele Carpin

A chegada até aqui pode ser feita por trilha, que dura cerca de 40 minutos, ou mesmo por barcos. Você chega até o condomínio de luxo que tem por ali, o Condomínio Laranjeiras, e compra uma passagem de barco.

Píer no Condomínio Laranjeiras, de onde saem barcos para Praia do Sono, Ponta Negra ou para o batismo de mergulho. Foto e informações: Gisele Carpin

O perfil do frequentador dessa praia é bem aventureiro, pra quem gosta de acampar ou hospedagens mais simples.
A gastronomia também apesar de descomplicada é bem gostosa, e se resume basicamente a peixe fresco, arroz, feijão, saladas e lula, quando está na época.

Ponta Negra, Paraty

Essa praia é ponto de partida para trilhas que dão acesso ao Pico do Cairuçu e a Pedra da Jamanta. Suas águas claras são procuradas para a prática de mergulho.

Ponta Negra. Foto e informações: Gisele Carpin

Ir de trilha da Praia do Sono até aqui, passando pelas praias de Antigos, Antiguinhos e pela Cachoeira de Galhetas é a grande atração.
A caminhada é de nível médio e leva cerca de 2h30.
Em ponta negra tem alguns restaurantes de pescadores à beira mar onde pode se fazer uma refeição ou tomar uma cerveja bem gelada. Na volta você pode pegar um barco, mas os animados voltam pela trilha.

Praia de Antigos, Foto e informações: Gisele Carpin

Praia Saco do Mamanguá, Paraty

Essa praia é uma das mais famosas da região. Sua principal característica é que as águas do oceano entram em uma grande baía, formando uma paisagem linda, misturando mar e a imponente Mata Atlântica.

Saco do Mamanguá. Foto e informações: Gisele Carpin

Pra chegar aqui é só pegar um barco na praia de Paraty Mirim. Não é tão “roots” como a praia do Sono, ao contrário, tem pousadas e até hotéis “all inclusive”. É um achado incrível e ótima pra ir com crianças, já que a praia é mansinha, sem onda, um tipo de fiorde, muito bem protegida. Se você não quiser pernoitar por aqui, esse passeio também pode ser comprado no centro de Paraty, só para passar o dia.

Parque Estadual de Paraty-Mirim

Possui águas claras de tons esverdeados e uma antiga (e charmosa) igrejinha de Nossa Senhora da Conceição, que mesmo depois de anos ainda permanece à beira-mar.

Igrejinha em Paraty-Mirim. Foto: Gisele Carpin

A praia de Paraty-Mirim fica cerca de 18km, pela estrada Rio-Santos (siga até o quilômetro 593), e depois mais 8km em estrada de terra, em área preservação ambiental.

Paraty-Mirim é, em frequentada por pessoas locais, talvez pela dificuldade de acesso (especialmente em períodos chuvosos, pois a estrada fica mais precária).

Vila de Trindade e a praia do Meio

É um bairro de Paraty, formada basicamente por uma vila de pescadores.

O comércio local é exercido pelos caiçaras, nativos da região, e constituído de artesanato e restaurantes com comidas típicas.

Vila de Trindade. Foto retirada do site CatracaLivre

Vale a pena hospedar ou vir passar o dia, pois existem algumas praias bem gostosas por aqui. Algumas, inclusive, são perfeitas para surfar e também possuem músicos e acampamentos.

Praia do Meio em dia nublado.

Como chegar em Paraty

Paraty está localizada no Estado do Rio de Janeiro, mas posso dizer que é metade do caminho tanto pra SP capital quanto para o RJ capital, sendo cerca de 250 km de ambas as cidades.

Na estrada, indo para Paraty

Se você vier de ônibus, terá que pensar em como acessar as praias afastadas, mas contratar um passeio é uma boa pedida.

Várias rodovias ligam São Paulo à Paraty, como a bonita Rio Santos, que apesar de mão dupla, está bem conservada e também a Rodovia Tamoios, já no Estado de São Paulo.

Se você vier de outros estados, você pode chegar pelo Rio de Janeiro e pegar um ônibus de linha ou fretado para Paraty.

Estrada Real, Caminho do Ouro

Mapa da Estrada Real. Mapa retirado do site
http://www.institutoestradareal.com.br/estradareal

Você pode também pegar a famosa Estrada Real (que eu expliquei um pouco aqui), também conhecida por caminho do ouro, construída século passado por escravos. Meu sonho era andar por essa estrada. Há bonitos trechos de natureza exuberante, com paisagens de tirar o fôlego. A estrada é um pouco perigosa, então vá devagar!

Dica de lugar para dar uma pausa na sua viagem, na Estrada Real, entre Cunha e Paraty: Moara Café. Local super aconchegante, Sobremesas e salgados deliciosos, ambiente charmoso e atendimento impecável. Recomendo o café, a torta caprese e os sorvetes.

Quando ir à Paraty !

Paraty é uma cidade incrível e podemos vir pra cá o ano todo. Natureza selvagem, música de qualidade, arte e cultura nas ruas e praias deliciosas. Sem dúvidas, vale muito a pena conhecer esse destino tão interessante. Uma das vantagens daqui é ser um destino para todos os bolsos e pode ser visitado em poucos dias, como um feriado prolongado, por exemplo.

O litoral sul fluminense possui um verão quente (aqui é muito abafado) e chuvoso, e invernos bem frescos. O litoral norte de São Paulo está a poucos quilômetros daqui, junto com a bonita Serra do Mar.

Como a cidade é muito turística o ideal é ir em períodos mais vazios. Dias da semana pode ser uma boa pedida.

Uma coisa interessante que eu notei certa vez é que em pleno verão a cidade, apesar de desconfortavelmente abafada, fica mais vazia durante o dia. Acho que é porque as pessoas estavam nas várias praias da região, e começou a encher no final do dia.

Onde se hospedar em Paraty

Já perdi as contas das inúmeras vezes que vim pra cá. Já me hospedei dentro do centro histórico, fora do centro, em Trindade, já fiz bate e volta da cidade de Guaratinguetá, e da cidade de Ubatuba.

Da última vez, me hospedei na Pousada Villa del Sol. A pousada é grande e bem bonita e à primeira vista encanta.

Pousada Villa Del Sol


A localização é excelente, fica a uma quadra e meia da rodoviária e a menos de 10 minutos a pé do centrinho histórico, então mesmo com chuva íamos até lá para passear e a noite nos barzinhos.

Pousada Villa Del Sol

Achei a região ali bem segura, dando pra ir e vir a pé tranquilamente.
O café da manhã é bom, possui bastante variedade. E os funcionários todos atenciosos, principalmente com a minha bebê.

NÃO SE ESQUEÇA DE CONTRATAR O SEGURO VIAGEM!

Faça uma cotação sem compromisso neste link que já inclui o cupom ELIZABETHWERNECK que garante o desconto de 5% na compra do seu seguro viagem!

Acompanhe minhas viagens em tempo real pelo Instagram >>@elizabethwerneck

Se você gosta das dicas do blog, ajude na sua manutenção, reservando seus hotéis e pousadas pelos links daqui. Isso não aumenta em nada o valor da sua reserva e gera um pequeno percentual revertido para o blog 😉

🛏 Pesquisando por hotel? Dê uma olhadinha no Booking.com! Você não paga nada a mais pela reserva, pode alterar e cancelar quando quiser, e ainda consegue os melhores preços.

Américas Brasil

2 comentários Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Travel Around the World

Vem descobrir o Mundo connosco...

CONTO EM DETALHES

Crônicas, histórias, poesias e percepções.

Elizabeth Werneck

Um blog para falar sobre viagens e outros assuntos

WordPress.com

WordPress.com is the best place for your personal blog or business site.

%d blogueiros gostam disto: