Viajar com bebê de 1 a 2 anos: Dicas para tornar tudo mais fácil!

Nossos bebês crescem muito rápido, e entre uma piscada e outra, ou melhor, entre uma viagem e outra, percebemos o grande desenvolvimento que acontece.

Começamos a viajar de carro quando minha bebê completou 1 Mês e alguns dias, indo do Rio de Janeiro para Minas Gerais visitar as avós.

Iara com quase 2 meses em Muriaé, MG.

Muitos pais dizem que quanto menor a criança, mais fácil viajar com ela, mas eu não sei se concordo com isso. Quando ela era pequenininha rolava mais insegurança que agora, com dois anos ela já tem mais vacinas aplicadas e aponta onde tem dor, apesar de não estar com a fala completamente desenvolvida.

Clique aqui para mais dicas sobre viajar com bebês de até 1 ano !

Entre o primeiro e o segundo ano de vida da Iara fomos pra Itália, San Marino, Emirados Árabes Unidos, Singapura, Myanmar, Malásia, Filipinas e Aruba.

Iara aprendeu a andar por aqui, com 1 ano e pouco, Pisa, Itália.

Além de viajar inúmeras vezes de carro dentro do Brasil entre Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais. Você pode até pensar que só viajamos assim porque ela vai tranquila na cadeirinha. Mas, definitivamente ela não era muito chegada na cadeirinha quando ia de costas, depois que ela “foi promovida” para sentar de frente as coisas melhoraram bastante. Mas mesmo assim, temos que fazer uso de tela, brinquedos, músicas que ela goste, parar mais vezes, etc..

Viajando do Sul de Minas para São Paulo. Assim que entra no carro dorme.

Eu sempre falo que essas dicas deram certo pra mim. Mas não quer dizer que darão certo para você, no entanto, acho importante compartilhar minha experiência para te inspirar a seguir o seu caminho das viagens.

Alimentação

Acho que essa parte é uma das mais importantes, e a maior dúvida que a maioria das famílias tem na hora de viajar.

O melhor nessa fase é que a criança já senta na cadeirinha do restaurante para fazer as refeições conosco. A maioria dos restaurantes que a gente ia por esses países sempre tinha “baby chair”. E quando não tinha, também era tranquilo.

Café da manhã em Bagan, Myanmar.

Alguns restaurantes cedem papel e giz de cera para distrair a criança, além de emprestarmos os celulares para assistir a vídeos.

Minha filha nunca mamou leite artificial, e antes de 1 ano usava a mamadeira apenas para beber água, e atualmente usa um copo com canudo que não vaza.

Modelo de copo que também serve de apoio para celular. Sua criança também reclama porque quer comer as coisas quentes, podendo queimar a boca? Restaurante em Dubai, Emirados Árabes Unidos.

Mais dicas sobre Dubai com crianças clique aqui.

No entanto, ela é amamentada até hoje por leite materno entre uma refeição e outra. Além disso, a gente sempre tinha disponíveis biscoitos, grissinis, papinhas de frutas, etc.

Ideia de lanchinho durante a viagem à Itália.
Mesmo com cadeirinha, às vezes, ela queria colo. Mas quando a comida chegava, ligávamos o celular com um vídeo que ela gosta e conseguíamos fazer a refeição. Rima Mediterranean Treetop Dining, Boracay, Filipinas.

Eu nunca precisei esquentar a comida/papinha pra ela e isso é fundamental nas viagens. Já ouvi relatos que a criança faz um escândalo quando a comida ou o leite não estão na temperatura de costume.

Almoço no jardim do Museu Imperial de Petrópolis, Brasil. Nesse dia íamos ver o Museu para depois almoçar. No entanto, já tínhamos resolvido o almoço da Iara.

E outra coisa importantíssima é cortar a comida em pedaços bem pequenos para não engasgar.

Degustando a culinária árabe no acampamento no Deserto em Dubai Emirados Árabes Unidos.
Depois arrumou uma coleguinha inglesa pra fazer bagunça pelo acampamento. Dubai, Emirados Árabes Unidos.

Todos os alimentos em geral estão liberados pra ela, eu apenas ainda evito peixes e carnes cruas como sashimi e carpaccio, além de condimentos extremamente fortes como alguns curries.

Almoço em restaurante “fast food” Tailandês em Yangon, Myanmar. Caril, português de Portugal, ou curry português brasileiro, é uma mistura de especiarias muito utilizada na culinária de países como Índia, e outros países asiáticos. Essa mistura chega a levar 70 tipos de temperos, e entre eles, muita pimenta.

Em viagem as refeições podem atrasar, saindo mais tarde que o de costume. Mas se você tiver a comida à mão isso não será um problema.

Outra coisa que também dá certo é aquelas comidas prontas (papinha de Neném).

Papinhas compradas em Aruba, Antilhas Holandesas.

Independente do restaurante que a gente escolhia, a comida da Iara sempre estava disponível. Então ela praticamente almoçava duas vezes. Dava a papinha pra ela de entrada, porque ela aceita, então é certeza que ela vai comer e ficar nutrida, e depois quando almoçávamos, se ela quisesse poderia almoçar com a gente.

E o bom é que encontramos comida de Neném em todos os países visitados, só nas Filipinas que eu nem procurei porque compramos um estoque grande em Kuala Lumpur antes de ir. Até no Myanmar encontramos, e com bastante variedade.

Supermercado em Kuala Lumpur, Malaysia. Várias opções de comida infantil.

Se você acha que não é adequado 30 dias de comida de supermercado você pode alternar, e ver o que funciona pra você. Eu tenho amigas mamães que levam comida congelada, outras que cozinham no hotel, e outras que dão comida do próprio restaurante. Varia de acordo com a família.

Clique aqui para mais informações sobre alimentação de bebês em viagem.

Carrinhos de bebês e Canguru

Minha bebê adora colo (quem não gosta?), e não é muito chegada no carrinho. Mas mesmo assim, é F U N D A M E N T A L levá-lo. Mesmo carregando nos braços boa parte do tempo, quando ela dorme, é pro carrinho que ela vai.

Soninho no carrinho visitando o Bairro indiano, Singapura.

Ainda mais na Ásia, que o fuso horário dela ficou bastante alterado, ela conseguia dormir tranquilamente durante os passeios, e, pasmem, não se irritou nem um pouco com essa mudança tão brusca.

Organizando o soninho do Neném no Myanmar

Nosso carrinho pesa 6,2 kg e vira mala de mão em aviões, e podemos embarcar com ele. É realmente excepcional. Recomendo bastante

O modelo é YOYO da marca francesa BabyZen. Caro e difícil de encontrar no Brasil. Por isso compramos o nosso na Itália.

Às vezes eu consigo distraí-la com alguma coisa no ambiente e consigo mantê-la no carrinho. Essa distração pode funcionar também com algum brinquedo, então é sempre bom ter em mãos os favoritos. Mas minha filha não tem nenhum brinquedo favorito, se enjoa rápido dos brinquedos dela, querendo sempre novidade. Então mesmo que eu não leve nenhum brinquedo, isso não será um problema, pois posso comprar alguma coisa durante a viagem e ela se distrair, tendo o mesmo efeito.

Um dos “brinquedos” que ela mais gostou e até hoje brinca muito : 5 caixinhas de Laca comprada em Bagan, no Myanmar. A Laca é um tipo de acabamento surgido na China por volta do século IV a.C.
Assim como outros vernizes naturais, a Laca é uma resina obtida de algumas plantas.

Outra coisa que ela começou a usar depois de um ano é a chupeta. Quando ela começou a socializar com outras crianças, ao vê-las de chupeta, queria pegar e usar, aí achei melhor comprar uma pra ela. Então é bem importante levá-la durante a viagem.

Outra coisa que sempre nos salvou bastante (agora nem tanto porque ela está maior, mas em várias viagens foi excelente) é o canguru. Ela ficava agarrada no nosso corpo, conseguindo dormir na hora. Sempre gostou bastante.

Papai e Bebê em Burano, uma das ilhas de Veneza, Itália.

Esse canguru é da marca sueca Baby Björn

Tipos de atrações e viagens

Aqui é um assunto que também varia de família para família. Até hoje escuto de pessoas bem próximas que minhas viagens precisam ser cem por cento focada na criança. Eu faço cara de paisagem e deixo pra lá, pois eu nem entendo o que isso significa bem. Será que viagem inteiramente dedicada a criança é ir à parque de diversões ou parquinhos urbanos todos os dias, é sempre se hospedar em hotéis kids friendly para ter estrutura e outras crianças para brincar?

Hotel em Aruba, kids friendly

Se você quiser fazer isso, que ótimo! Mas se você quiser visitar lugares no mundo diferentes, não é porque você teve bebê que não poderá mais.

Pelo contrário, nossos filhos podem /devem acompanhar os passos de sua família, e não o contrário. Além disso, as próprias atrações contra-indicadas já excluem os pequenos por si só. Um exemplo foi o hotel de Aruba onde nos hospedamos que tinha parquinho, espaço kids e outras atividades voltadas aos pequenos, ao passo que o hotel vizinho, da mesma rede, é proibido para esse público.

Mais informações sobre Aruba com crianças clique aqui.

Eu adoro museu, livrarias, exposições, feiras e antes de ter filha ia bastante. Então não faz sentido eu deixar de ir por causa disso.

Criança no museu. Casa Roberto Marinho, Rio de Janeiro, Brasil

Outra coisa que eu já escutei foi que Europa não é lugar de criança, acredita?

Visitando uma livraria em Veneza.

Até o momento posso sim estar com sorte porque a minha filha se diverte em todos os lugares, e pra ela só de estar na rua com a sua família já é o evento.

Se divertindo com os locais no Myanmar

Clique aqui e veja sobre viajar com crianças para o Myanmar.

Então no momento meu lema de vida durante as férias é : “nos lugares do planeta onde tem criança a minha pode estar por ali se divertindo também.”

Iara com seus novos amiguinhos egípcios. Foto tirada às 3 horas da manhã no Hotel de Dubai. Todo mundo com o fuso horário desregulado.

Os adultos se divertem, ela se diverte, e quando isso não for mais uma realidade veremos o que acontecerá.

Criança assistindo à Orquestra Petrobrás Sinfônica- Os Saltimbancos, Dia das Crianças, Rio de Janeiro, Brasil.

Impossível eu não citar nossa última viagem à Ásia.

Durante 20 dias visitando templos de várias religiões e bairros históricos, um dia tiramos para ir à Universal Studios de Singapura e minha filha se divertiu na mesma proporção que nos outros dias, e nós também.

Carrossel na Universal Studios Singapura é tão legal…
…quanto ver macacos num templo Hindu na Malásia.

Clique aqui e veja sobre a nossa visita à Universal Studios Singapura.

Uma das atividades que minha filha ama é praia: Areia, baldinho, água morna e calminha. Mas eu falo isso porque eu também amo praia, ela me puxou nesse quesito!

Clique aqui para ver mais sobre viajar para as Filipinas com criança.

Troca de fraldas

Como a maioria das crianças de 1 a 2 anos ainda usam fraldas, isso é uma realidade bem presente nas viagens.

Eu já troquei fralda em banco de carro e de praça, mureta histórica, escada de igreja turística, cadeira de restaurante e até chão de aeroporto porque a situação estava crítica e não dava pra chegar/procurar um banheiro. Mas a maioria dos shoppings estão equipados com trocadores. Eu nunca vou me esquecer de quando eu estava grávida, num banheiro público nas ruas de Copenhague, Dinamarca, e dentro do banheiro tinha uma mãe trocando a fralda do filho. Nunca imaginei que em banheiro público teria um trocador. Fiquei com mais motivação pra viajar com criança, principalmente para a Escandinávia. Hehe.

Nessa fase que a criança quer sair andando por aí, as fraldas tipo calça são excelentes. A criança sai andando e você sai vestindo atrás. Rsrs.

E na praia ou piscina usamos fraldas apropriadas que não encharcam, porque as do dia a dia, nessas condições, se enchem de água, perdendo a capacidade de absorção do xixi. E ao ficarem muito pesadas e volumosas impedem que o Neném se movimente com liberdade.
Essas específicas não incham nem vazam porque foram feitas exatamente para isso. Ou seja, a camada de fora é impermeável e as bordas elásticas bloqueiam a passagem da água de fora para dentro, evitando que a fralda encharque. Importante saber que a camada absorvente de dentro consegue também reter tanto o cocô e o xixi.

fralda para praia e piscina compradas no supermercado em Aruba

Remédios e Documentos

Essa dica acho que vou colocar em todos os textos sobre viagens com crianças. Antes de viajar é importante sempre ir ao pediatra, falar com ele e pedir a listinha dos medicamentos e vitaminas que poderão ser usados durante a viagem. Importante levar a receita médica e jamais viajar sem o seguro viagem.

Além de conferir os documentos necessários para viajar com crianças, como passaporte, certificado internacional de vacinação, vistos, etc..

Vôos de avião nessa fase

Em 2 anos de vida a Iara já fez 25 vôos e alguns bem demorados. No início ela ia no bercinho do avião, mas depois de um tempo começamos a revezar com ela no colo, pois ainda não pagava seu próprio assento.

Quando o vôo ia vazio conseguíamos um lugar pro Neném “na faixa”.

Mas agora, como ela acabou de fazer dois aninhos, viajará em sua própria poltrona no avião e pagará por isso.

Virava e mexia ela pedia pra ficar sozinha na poltrona.

Menores de 2 anos pagam só 10% da tarifa aérea normal, mas devem viajar no colo. Se for pacote de viagem, varia bastante, conforme a agência. Em regra, há descontos para crianças de até 12 anos incompletos, mas essa prática não é obrigatória. Se um adulto estiver viajando com dois bebês de até dois anos, é obrigatório comprar um assento. Isso acontece para garantir a segurança de todos durante o voo.

Durante a viagem de avião a dica aqui é usar toda a sua experiência de vida ao mesmo tempo: brinquedo favorito, ou novo, livro de adesivos, folhas para desenhar, massinha, giz de cera, roupa confortável, várias roupas na mala de mão para caso se suje (e suja mesmo, inclusive roupas extras para os adultos poderem trocar durante o vôo), lanchinhos, além do serviço de entretenimento da aeronave. Nosso último vôo da Ásia voamos no famoso A380. Eu não costumo saber o nome dos aviões, mas esse é especial, porque é aquele de dois andares.

Tente cansar o máximo possível a criança antes de embarcar. Aeroporto de Dubai, Emirados Árabes Unidos.

Além de tudo isso é provável que a criança queira andar pelos corredores durante o vôo, então vá junto e se exercite, pois é bom para a circulação sanguínea do nosso corpo.

Aeroporto bom, que cansa a criança é o de Singapura. É um complexo que conta com mais de 300 estabelecimentos entre lojas, cinema, restaurantes, hotel e outras atrações, como uma enorme cachoeira! Então tome cuidado para não perder o vôo, com tantas atrações assim, se programe pra chegar cedo para curtir tudo.

Mais dicas de Singapura clique aqui.

Eu sempre opto pelo voo direto, ou com menos escalas ou conexões. Se os adultos se cansam, imagine as crianças. Acho que compensa pagar um pouco mais para chegar mais disposto.
Outra coisa que faz diferença é se a viagem for longa, opte por vôos noturnos. Minha filha dorme melhor, praticamente direto, só acordando no destino final.

No vôo para o Brasil da Colômbia.

Na hora de reservar o vôo não custa nada confirmar sobre a comida da criança. Algumas companhias aéreas podem oferecer papinhas, biscoitinhos e outras opções.

E tranquilidade né? Você sabia que mesmo eu viajando muito desenvolvi um pânico de voar de avião e foi preciso até fazer terapia para curar. Mas o que mais me curou foi que eu tinha certeza que não queria passar esse medo pra minha filha.

Ela adora o tema aviões e helicópteros e também curte voar, e convenhamos, é muito seguro. No momento o que me deixa muito feliz é que eu não passei esse medo pra ela.

Quando a companhia aérea dá lindos presentes. Emirates no vôo do Rio de Janeiro para Dubai.

Meu medo está tão controlado que no vôo entre Dubai e Singapura tinha uma passageira completamente em pânico do meu lado por causa da turbulência e eu consegui consolá-la. Eu nem achei a turbulência forte assim.

O site da companhia aérea portuguesa TAP tem esse site que te ajuda a superar o medo

Vôo de Colômbia a Aruba.

Mais dicas sobre viagem com crianças aqui

E se alguma coisa que não estava programada acontecer?

O importante é sentir segurança. Depois que você se cercar dos cuidados básicos como só beber água mineral lacrada (em países em desenvolvimento), um bom seguro viagem, e ter os remédios básicos , prepare-se para que o mundo te surpreenda! Claro que durante a viagem pode acontecer de sujar a roupa, alguma atração fechada, ou lotada, mas com senso de humor tudo fica bem.

Iara brincando com uma criança muçulmana no Aeroporto das Filipinas. As crianças podem desenvolver o contato com as diferenças, tão importante num mundo mais tolerante.

Seguro viagem: importantíssimo desde sempre. 

Faça uma cotação sem compromisso neste link que já inclui o cupom ELIZABETHWERNECK que garante o desconto de 5% na compra do seu seguro viagem!

Acompanhe minhas viagens em tempo real pelo Instagram >>@elizabethwerneck

Se você gosta das dicas do blog, ajude na sua manutenção, reservando seus hotéis e pousadas pelos links daqui. Isso não aumenta em nada o valor da sua reserva e gera um pequeno percentual revertido para o blog 😉

🛏 Pesquisando por hotel? Dê uma olhadinha no Booking.com! Você não paga nada a mais pela reserva, pode alterar e cancelar quando quiser, e ainda consegue os melhores preços.

Américas Aruba Ásia Brasil Crianças Emirados Árabes Unidos Europa Filipinas Itália Malásia Myanmar Oriente Médio Outros San Marino Singapura

1 comentário Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Travel Around the World

Vem descobrir o Mundo connosco...

CONTO EM DETALHES

Crônicas, histórias, poesias e percepções.

Elizabeth Werneck

Um blog para falar sobre viagens e outros assuntos

WordPress.com

WordPress.com is the best place for your personal blog or business site.

%d blogueiros gostam disto: