Vale a pena visitar a Ilha de Paquetá com crianças? Veja o que fazer com crianças, onde comer, hotéis e pousadas e onde se hospedar. A Ilha de Paquetá é um cantinho super pitoresco, no coração da Baía de Guanabara. Um lugar que todo mundo visita na sua infância, mas esquece de voltar depois de adulto. Pois eu tive a desculpa de “ter” que levar minha criança viajante para esse delicioso passeio de um dia. Confira aqui nosso roteiro, num bate e volta do Rio de Janeiro.

Praia dos Tamoios, com a estação das barcas de Paquetá ao fundo
Praia dos Tamoios, com a estação das barcas de Paquetá ao fundo

Por quê visitar a Ilha de Paquetá com crianças:

Primeiramente por causa de sua importância para quem gosta de história. Os índios Tamoios já moravam aqui quando os portugueses e franceses chegaram. E o interessante é que a ilha já chamava Paquetá. O estudo da palavra até hoje gera dúvida: pode significar muitas conchas ou área com muitas pedras ou muitas pacas.

Além disso Dom João VI sempre vinha passear aqui, e isso desenvolveu bastante o local para a época.

Outra coisa que deu bastante visibilidade também foi o romance A Moreninha, de Joaquim Manuel de Macedo, que diz a lenda local que o romance foi inspirado por aqui.

Mas, pra mim, o principal motivo de você conhecer Paquetá é que parece que você está completamente fora da cidade do Rio de Janeiro. O bairro parece que ficou parado no tempo. Só pra você ter uma ideia, eles tem um farol da Mesbla, aquela rede de lojas de departamento, criada em 1912. Quem vem conhecer consegue entender, como o lugar é gostoso.

Você chega para um bate e volta, para voltar na barca da noite, e quando você se toca, está entrando no mercado para comprar uma escova de dentes para pernoitar por aqui. Absolutamente em nada lembra as ruas agitadas e algumas regiões inseguras do Rio 40 graus.

Como chegar à Ilha de Paquetá com crianças:

Não é difícil chegar na Ilha de Paquetá.

A ida a Ilha de Paquetá é realizada através das barcas que saem diariamente da estação e em em vários horários, da Praça XV. Para chegar lá, você pode pegar o metrô e descer na estação Carioca, e depois andar mais uns 15 minutos, no máximo, até a estação das Barcas. A bilheteria está localizada bem no final da praça XV, e está bem sinalizada.

A viagem até a Ilha levou cerca de uma hora e pouquinho.

A Ilha de Paquetá pode ser considerada uma ótima Viagem de fim de semana, um Bate e volta do Rio de Janeiro.

Como são as barcas para a Ilha de Paquetá?

A empresa que é responsável pelo trajeto até a Ilha de Paquetá é a CCR Barcas, a mesma empresa que faz a travessia para Niterói e para Ilha Grande. O valor da passagem é R$6,90 cada trecho. Porém, esse valor pode variar caso você precise usar alguma integração com o metrô, trem ou ônibus. Veja mais informações e horários no site oficial).

Todas as embarcações possuem ar condicionado, banheiros, lanchonete e alguns vendedores ambulantes. A lanchonete não estava aberta quando viajamos, durante o final de semana. Importante destacar que tinha alguns artistas de rua tocando e fazendo apresentações de animação durante a travessia. Passear no Rio de janeiro é sempre a maior alegria.

O que fazer em Paquetá com crianças: ir na Barca já é uma atração, caso as animadoras estejam a bordo.
O que fazer em Paquetá com crianças: ir na Barca já é uma atração, caso as animadoras estejam a bordo.

Dica de ouro: Não esqueça de levar um casaquinho. Quando voltamos as janelas estavam muito abertas, ventando muito e fazendo frio, e se não tivesse de janela aberta, o ar condicionado estaria ligado e também faria frio. Ou seja, de qualquer forma, é bom ter um casaquinho ou uma pashimina para se cobrir, principalmente com crianças.

O que fazer indo para Paquetá: Contemplar a Ponte Rio de Niterói de outro ângulo dá a noção de como somos pequenos diante dessa maravilhosa construção

Como se locomover pela Ilha de Paquetá com crianças?

Para se deslocar e passear por suas bucólicas ruas de terra batida não é difícil. Você pode optar pelas bicicletas convencioanais, rickshaw (também chamadas de bicicletáxis), pelas modernas “charretes elétricas” que foram colocados no lugar das charretes puxadas pelos cavalinhos e os próprios pés. É bem simples, pois a Ilha de Paquetá tem apenas 1,2 km². Isso quer dizer que ela é pequena e sem ladeiras e morros, então apesar de você ter que andar bastante, fica fácil se deslocar, num roteiro de 1 dia.

Importante destacar que não é permitida a circulação de carros particulares, principalmente movidos a combustível.

Como se locomover pela Ilha de Paquetá? A pé, bike, rickshaw ou charrete elétrica
Como se locomover pela Ilha de Paquetá? A pé, bike, rickshaw ou charrete elétrica

Quando ir a Ilha de Paquetá com crianças:

O local é um destino excelente para ser visitado em qualquer época do ano, mas a melhor época para ir a Paquetá é entre abril e novembro. São os meses em que o Rio de Janeiro está um pouco mais fresco e chove menos, além de não ter grande número de visitantes.

A última vez que visitamos foi num domingo de novembro e a temperatura máxima do dia foi de 24º. Ou seja, estava muito agradável para turistar.

Antes da pandemia, em todas as épocas do ano, aos domingos e feriados prolongados Paquetá costumava ficar muito cheia, com praias aglomeradas. Porém, atualmente isso não é uma realidade. No entanto, as coisas, em algum momento, vão voltar a ser como eram. dessa forma, aos finais de semana ainda Paquetá está tranquila, e os profissionais do turismo estão usando máscaras e cumprindo os protocolos de prevenção.

Quantos dias ficar em Paquetá?

Se o objetivo for apenas visitar os principais pontos turísticos, um dia inteiro é um bom período. Todavia, para descansar real e aproveitar a noite da Ilha de Paquetá, recomendo 2 pernoites na “Pérola da Guanabara” (apelido carinhoso da Ilha).

A Ilha de Paquetá é segura para crianças

O guia da nossa charrete elétrica disse que a Ilha de Paquetá é um dos bairros do Rio de Janeiro mais seguros. Ele disse que não tem tráfico, e o bairro possui cerca de 4.500 pessoas. Isso se parece com uma cidadezinha de Minas Gerais, onde todo mundo se conhece pelo nome ou pela família.

De fato constatamos isso mesmo. Vimos muitas residências lindas com muros baixinhos, e as pessoas se deslocando sem preocupação nenhuma . Andamos com celular na mão para registrar a linda Ilha sem nenhum problema.

Dá pra nadar na praia em Paquetá com crianças?

Vimos muita gente nadando na Baía de Guanabara, e olha que o dia não estava com grande calor. Porém, infelizmente, como as praias da Ilha de Paquetá fazem parte da Baía de Guanabara, ela está poluída.

No entanto, você sabia que apesar disso, em algumas épocas do ano há praias e trechos que ficam próprios para banho, de acordo com o INEA (órgão que mede isso). O ideal é sempre acompanhar o último boletim  caso a sua vontade seja de se refrescar na ilha com um banho de mar (pena que a de Paquetá esteja tão desatualizada no site).

Agora vamos as dicas de onde ficar em Paquetá, melhores hotéis e Pousadas!

Melhores hotéis e Pousadas em Paquetá

Não faltam hospedagens em casarios românticos em Paquetá. Veja algumas dicas e reserve com antecedência:

1- Casa rústica Moreninha; (hotéis e pousadas em Paquetá)

2- Solar dos Limoeiros;

3- Casa Flor;

4- Apartamento para alugar

5- Fantástica Cobertura Duplex de Frente Para o Mar

Veja aqui mais pousadas e Hotéis em Paquetá: Reserve e descanse na ilha mais charmosa do Rio

O que fazer em Paquetá: roteiro perfeito para um passeio de 1 dia

Nesse mapinha é um folder que ganhei na barca. Ele tem marcado todos os pontos turísticos de Paquetá que fizemos em nosso roteiro com crianças.
Esse mapinha é um folder que ganhei na barca. Ele tem marcado todos os pontos turísticos de Paquetá que fizemos em nosso roteiro com crianças.

Chegamos na Ilha de Paquetá para um passeio e ele se dividiu em duas partes: com charrete elétrica e a pé. Como estávamos com uma bebê de 3 anos, não senti segurança em alugar uma bicicleta para andar com ela. Mas andar de bike é uma das coisas para fazer em Paquetá super bem recomendadas, então, se você puder, faça, combinado?!

Nós pagamos 150 reais, com um passeio de 1 hora e meia, e como estávamos em várias pessoas, o custo-benefício saiu muito bom. O valor do passeio no carrinho de golfe (que eles chamam pitorescamente de charrete elétrica) pode ser de 80, 100 ou 150 reais, para até 5 adultos, dependendo do passeio.

Interessante destacar que todos os pontos que visitamos nesse dia são gratuitos! E muitos deles são para contemplação do lado de fora, ou rapidinho, não deixe de conferir.

O que fazer em Paquetá: primeira parte do roteiro feita com charrete elétrica

Praça Pintor Pedro Bruno

Praça Pintor Pedro Bruno é um dos pontos turísticos da Ilha de Paquetá que você certamente ficará um tempinho. Pois é aqui que está localizada a estação das barcas, local por onde se chega e se vai embora de Paquetá.

Ela tem esse nome em homenagem ao artista que era pintor, escultor e desenhista Pedro Bruno, que nasceu e viveu na ilha. Ele foi responsável por vários projetos arquitetônicos e paisagísticos na Ilha de Paquetá.

E como o prórpio nome da praça diz, foi ele quem projetou.

Farol da Mesbla:

Um dos primeiros pontos turísticos visitados em Paquetá foi o Farol da Mesbla. Ele está localizado numa praia chamada Praia das Gaivotas e sua torre possui quase 10 metros de altura. O farol da Mesbla foi um presente da antiga Lojas Mesbla para a Ilha de Paquetá e onde tinha um clube de férias para os funcionários da rede de lojas.

Uma curiosidade sobre o farol da Mesbla é que o relógio é uma réplica do que tem no edifício Passeio, no centro da cidade do Rio de Janeiro.

A torre do farol da Mesbla é em estilo art déco marca ritmo lento da Ilha de Paquetá

Cemitério dos Pássaros:

Passamos, então, para um dos pontos turísticos mais alternativos da Ilha de Paquetá e do Rio de Janeiro todo. O Cemitério dos Pássaros é exatamente como o próprio nome diz: um cemitério de passarinhos.

Ele é único nas Américas, e já ouvi dizer que já chegou a ter até 30 enterros por mês.

Veja aqui várias fotos do cemitério dos passarinhos no site da UOL

Parque Darke de Mattos:

A charrete elétrica nos levou até o parque Darke de Mattos e foi o lugar que eu mais gostei de Paquetá. É um parque lindo de viver e sem dúvidas é um das melhores atrações de Paquetá com crianças.

O parque possui algumas trilhas de nível fácil, e destaco a que leva até o Mirante Boa Vista, no Morro da Cruz. Você consegue ter uma vista maravilhosa da Ilha, então vale a pena.

Uma outra coisa interessante sobre o parque é que vimos mutias famílias fazendo piquenique, debaixo das árvores que são centenárias, desde a época do Brasil- Colônia de Portugal.

Leia também:17 dicas de lugares para piquenique no Rio de Janeiro RJ (com esse parque já somam 18 dicas, 🙂

O que fazer em Paquetá com crianças: fazer piquenique no Parque Darkke de Mattos
Bem ao lado de fora do parque tem uma área super agradável que também dá pra fazer um piquenique
Parque Natural Municipal Darke Mattos, Ilha de Paquetá. Créditos: Nicholas Bittencourt / Fonte: Flickr
Parque Natural Municipal Darke Mattos, Paquetá, Rio de Janeiro. Créditos: Valdo / Fonte: Flickr

Praia José Bonifácio e Casa de José Bonifácio

Em nosso roteiro por Paquetá passamos pela Praia de José Bonifácio onde tem uma bonita estátua. Essa praia é uma das mais famosas da ilha, pois possui bares, quiosques e alguns pedalinhos. Dessa forma seu roteiro em Paquetá com crianças vai ter essa atração.

O nome da praia é uma homenagem ao patrono da independência, o Ilustre José Bonifácio. É nessa praia que se encontra a Casa de José Bonifácio, local onde ele ficou em prisão domiciliar. A propriedade é privada e não é possível entrar e visitar.

O que fazer em Paquetá com crianças: andar de pedalinho na Praia José Bonifácio

Ponte da Saudade e a Pedra dos Namorados

Na Praia Praia José Bonifácio fica também a Ponte da saudade. O guia disse que a ponte recebeu esse nome por causa de uma pessoa africana que foi escravizada e que diariamente vinha ao local chorar de saudade de sua família que ficou no continente africano.

(Lembrando que não eram escravos, e sim pessoas, que foram escravizadas. Dessa forma, é sempre bom a gente mudar o nosso ponto de vista para isso).

A história é triste, mas a paisagem é linda e instagramável.

Bem do lado desse píer está localizada a Pedra dos Namorados. Segundo o guia local, pessoas solteiras que querem compromisso podem fazer suas orações diante dessa pedra para encontrar um “mozão” para chamar de seu.

Leia também: Inspiração de fotos para Instagram pelo mundo durante as viagens

Ponte da Saudade, Ilha de Paquetá e do lado direito da foto Pedra dos Namorados.

Praia da Moreninha e Pedra da Moreninha, na Ilha de Paquetá

Esses dois locais são dois dos pontos turísticos mais famosos da Ilha de Paquetá. A Praia da Moreninha é onde a pedra da Moreninha se encontra.

Então, paramos com nosso carrinho de golf/ carruagem elétrica até a Praia da Moreninha onde tem a Pedra da Moreninha.

Interessante que esse local é um dos mais famosos em relação a cultura, pois esse livro é muitíssimo conhecido. Uma super curiosidade sobre a Praia da Moreninha é que a extensão atual é artificial.

Na praia da Moreninha fizemos uma pequena trilha tranquila para fazer com crianças, além do local ter bar, quiosque e um mercado.

Nela se encontra a famosa Pedra da Moreninha, um mirante natural com uma vista daquelas! Para chegar até o topo é necessário seguir por uma trilha de nível fácil e bem curtinha. Lá em cima você verá toda a baía de Guanabara, a Ponte Rio-Niterói, o Pão de Açúcar e praticamente o Rio de Janeiro inteiro. Logo à frente uma outra ilha chama a atenção. Trata-se da Ilha de Brocoió, que é propriedade do Estado e serve como residência alternativa para o governador. Entretanto, ainda não é possível visitá-la.

Curiosidade sobre o livro A Moreninha

Esse livro  foi eternizado em adaptações para a TV e o cinema. Inclusive cenas foram rodadas em Paquetá

Resumo rápido:

O romance A Moreninha conta uma história de amor entre Augusto e D. Carolina (a moreninha).

Tudo inicia quando os 3 amigos Augusto, Leopoldo e Fabrício são convidados por Filipe para passar o feriado na casa de sua avó, numa ilha.

Já na ilha os quatro colegas, estudantes de medicina encontram D. Ana, a anfitriã, duas amigas, a irmã de Filipe, D. Carolina e mais suas 2 primas Joana e Joaquina.

Antes da viagem Filipe faz uma aposta com seu amigo Augusto: se este voltasse da Ilha sem se apaixonar por uma das meninas, Filipe escreveria um livro de romance, por ter perdido essa aposta. Porém, caso se apaixonasse, Augusto é quem deveria ser o autor e escrever o romance.

A verdade é que não se sabe ao certo se a Ilha de Paquetá é “A” Ilha do romance escrito por Joaquim Manuel de Macedo, porém, tudo indica que sim.

Compre o Livro a Moreninha aqui e já se inspire para sua viagem a Paquetá:

Essa entrada à direita da foto vai dar na Praia da Moreninha, e essa escadaria vai dar para a Pedra da Moreninha. tem uma ponte tranquila para ir com bebês e crianças.
Essa entrada à esquerda da foto vai dar na Praia da Moreninha, e essa escadaria vai dar para a Pedra da Moreninha. Tem uma ponte tranquila para ir com bebês e crianças.
Dá uma olhada na Ponte para a Pedra da Moreninha. Você consegue ver nessa foto algumas crianças de várias idades
Ilha do Brocoió ao fundo da Pedra da Moreninha:  o que fazer em Paquetá com crianças aventureiras,
Ilha do Brocoió ao fundo da Pedra da Moreninha: o que fazer em Paquetá com crianças aventureiras, rs.

Casa da Moreninha:

Casa da Moreninha, é uma casa utilizada nas filmagens da novela A Moreninha, da Rede Globo, em 1965. A casa é lindinha, mas não é aberta à visitação. Inclusive a Rede Globo poderia refilmar essa novela, né? Eu adoro novela de época, então daria uma bela novelas da 6.

Praça de São Roque e Casa de Artes Paquetá:

Quase no fim do nosso passeio de charrete elétrica, já estávamos morrendo de fome, passamos pela Praça de São Roque, uma bonita praça da Ilha de Paquetá. Você sabia que São Roque é padroeiro da ilha? Aqui se encontra também a Capela de São Roque, local onde dizem ter uma linda arte de pintura de Pedro Bruno. Infelizmente não entramos na igreja.

Igreja São Roque ao fundo

Na praça São Roque tem um coreto chamado Coreto Renato Antunes,  além da Fazenda São Roque. Essa fazenda é uma das primeira propriedades da Ilha de Paquetá. Atualmente funciona como a Escola Municipal Pedro Bruno e está em reforma.

Destaco o Poço de São Roque. Diz a lenda local que o poço abastecia a fazenda, ele possuía águas milagrosas que era capazes de curar todos os machucados que D. João VI tinha em sua perna.

 Roteiro a pé por Paquetá:

Como almoçamos e recarregamos o nosso combustível, depois do almoço visitamos mais alguns pontos:

Praça e Igreja do Senhor Bom Jesus do Monte

Localizada bem perto da Estação das Barcas, a Igreja do Senhor Bom Jesus do Monte vale a pena entrar e pedir bençãos. Ela tem um estilo bem bonito, neogótico e estava aberta. Sempre quando visito uma igreja nova tenho o hábito de pedir três graças, já ouviu falar isso?

Em nosso roteiro a pé seguimos até a Praia dos Tamoios. outra praia de Paquetá com alguns pontos turísticos importantes da ilha.

Praia dos Tamoios, Caramanchão dos Tamoios

O Caramanchão dos Tamoios é um monumento paisagístico muito bonito feito por Pedro Bruno.

Canhão de Saudação a D. João VI:

Vimos também o Canhão de Saudação a D. João VI, que era usado toda a vez que o Rei visitava a ilha, para o recepcionar.

Árvore Maria Gorda

E logo após fomos até a famosa árvore  Maria Gorda. Pra mim é a atração mais famosa da Ilha de Paquetá. Essa árvore é da espécie baobá de origem africana. Essa eu me lembro da minha infância como se fosse ontem. Nunca tinha visto uma árvore tão grande.

O guia disse que uma pessoa africana, que foi feita de escrava trouxe uma muda de baobá no navio e plantou por aqui, para se lembrar de sua terra.

A árvore atualmente é tombada pelo Patrimônio Histórico do Estado do Rio de Janeiro e foi plantada em 1627.

A maria Gorda é conhecida por todos na ilha de Paquetá. Ela é respeitada e querida, sendo um patrimônio do local.

Praça Bom Jesus do Monte:

E finalmente ficamos na Praça Bom Jesus do Monte onde minha criança viajante fez muitos amigos e não queria mais sair de lá por causa do parquinho público. Então ficamos até na hora de sair a barca das 18:30.

Agora vamos às dicas de onde comer e onde comprar em Paquetá:

O que comprar e onde:

Eu comprei uma canga de praia, um ímã de geladeira e um brinquedo que faz bolha de sabão para minha criança viajante. Acho que poderiam investir mais em artesanato na ilha. Vimos uma loja linda e deveria ter mais naquele estilo de loja.

Aqui tem também a Casa de Artes Paquetá. onde é centro cultural e promovia eventos culturais e artísticos antes da pandemia. Por aqui tem o Centro de Memória da Ilha de Paquetá e o Arte & Gula Café, um café/bistrô muito popular na Ilha.

Loja fofinha em Paquetá. Esses banquinhos na rua são um charme, né?

Onde comer em Paquetá (melhores restaurantes):

Pesquisando sobre recomendações sobre onde comer em Paquetá e todos os lugares sinalizavam o Restaurante do Zeca`s, na pracinha do Bom Jesus do Monte, e o Casa de Noca.

Com muita fome mesmo, optamos pela Casa de Noca e Bodega e não nos arrependemos. Que lugar gostoso!

O espaço é super pitoresco e combina totalmente com a nossa experiência na Ilha. O restaurante rústico que vimos funcionando com calma e tranquilidade, exatamente como toda a Ilha funciona. Entre tantas opções de entrada, pedimos a sardinha frita e que delícia. Estamos pensando nela até hoje. Vontade de pegar a balsa novamente só para pedir as sardinhas gordas e fritas. ahahaha.

Além dessa entrada bebemos cerveja artesanal da Ilha de paquetá, moqueca, bobó de camarão e um prato kids que a minha criança viajante devorou. Não é o restaurante mais barato da ilha, mas certamente é o mais charmoso.

Atençâo que os pratos são bastante servidos. E como pedimos entradas, foi mais comida ainda. Os preços do prato por pessoa varia entre 10 reais o preço das entradas até 40 reais da refeição principal.

No mesmo local tem uma bodega que vende doces finos típicos da ilha, mas tem que pagar a parte. Então comemos uma torta crocante que estava muito boa.

Adoro a cerveja artesanal de Paquetá
Adoro a cerveja artesanal de Paquetá
onde comer em Paquetá
Restaurante que tem “cachorríneo” é o melhor restaurante
Descansando já de barriga cheia na Casa de Noca- onde comer em Paquetá
Descansando já de barriga cheia na Casa de Noca- onde comer em Paquetá
A casa de Noca é Super Instagramável. Onde comer em paquetá com crianças
A casa de Noca é Super Instagramável. Onde comer em Paquetá com crianças

Onde comer em Paquetá (melhores restaurantes):

Além dessa experiência deliciosa no almoço, tomamos sorvete no mercado duas opções, ouvimos falar muito bem do Vira Canto e Casa de Noca, mas não tivemos oportunidade de conhecê-los.

Restaurante Vira Canto em Paquetá teve uma forma super inusitada de fazer propaganda. Veja se você consegue ler as letrinhas pequenas do lado direito da foto.
Restaurante Vira Canto em Paquetá teve uma forma super inusitada de fazer propaganda. Veja se você consegue ler as letrinhas pequenas do lado direito da foto. hahahaha
Comemos Açaí no Açaízeria.

Vale a pena passar o carnaval em Paquetá e outras festas?

O carnaval aqui é muito animado, e parece ser carnaval à moda antiga. Outra festa que recomendo ir também é a Festa do padroeiro, Festa de São Roque, no dia 16 de Agosto então fica a dica.

Veja aqui todas as festas típicas e eventos

Conclusão: Vale a pena visitar a Ilha de Paquetá, na cidade do Rio de Janeiro:

A Ilha tem uma energia incrível, bastante afetiva. É linda, embora precise um pouco uma melhor conservação dos pontos turísticos e melhor limpeza das praias, mas isso é problema da cidade do Rio de modo geral. Ô cidade maravilhosa, pena que seu povo seja tão sofrido, e a cidade esteja tão largada em tantos lugares! Recomendo alugar uma bicicleta (atualmente R$20,00 a diária) e passear pela ilha. Não deixe de montar um roteiro com todos os pontos a serem visitados para não deixar nenhum de fora e otimizar o deslocamento.

Vale muito a pena passar um dia todo na ilha de Paquetá, vimos muitas famílias fazendo piquenique  

Ah, e se ligue nos horários de retorno das barcas, pois se perder a última, será só amanhã de manhã…