Jerusalém: Religiosidade e história ao mesmo tempo

Viemos conhecer Israel – Jerusalém – e de acordo com os livros de História, foi aqui o lugar na antiguidade onde surgiram três grandes religiões monoteístas. É interessante saber que um importante centro espiritual mundial não é muito maior que uma cidade média brasileira. A cidade tem uma energia incrível, além de pontos históricos muito autênticos. Seus templos e igrejas são bonitos, mas ao mesmo tempo humildes e coerentes com toda história que aconteceu aqui. Ela é uma das cidades mais antigas do mundo e só isso já seria o suficiente para torná-la especial, mas ainda tem Jesus, Rei Davi, Maomé, etc.

Portão de Damasco. As muralhas circundam a cidade antiga de Jerusalém, e tem cerca de 1 km². Foram construídas antes do ano 3.000 a.C., mas por relatos históricos se sabe que por volta de 3.000, o rei Davi, de Israel, quando tomou a cidade de Jerusalém, ela já era murada. A última reconstrução ocorreu entre 1535 e 1538 d.C., quando Jerusalém fazia parte do Império Otomano.

Nesse texto aqui possui algumas dicas gerais sobre a região. Jerusalém fica a cerca de 70 quilômetros de Tel Aviv, aproximadamente 1 hora, sem trânsito, o que é bastante raro. Por isso, aconselho ficar hospedado em Jerusalém ao invés de ficar fazendo bate e volta de Tel Aviv.

Na cidade de Jerusalém

Cidade Velha de Jerusalém:

Estar aqui é a oportunidade de entrar em contato direto com aspectos da cultura milenar do povo judeu, islâmico e cristão.

Durante a sua longa história, Jerusalém foi destruída pelo menos duas vezes, sitiada 23 vezes, atacada 52 vezes e capturada e recapturada outras 44 vezes. Quanta resistência! A parte mais antiga da cidade foi estabelecida no IV milénio a.C.. Atualmente aqueles muros definem a Cidade Antiga, que é dividida em quatro bairros — armênio, cristão, judeu e muçulmano — desde o início do século XIX, então passeie por aqui, é muitos interessante! A Cidade Antiga se tornou um Patrimônio da Humanidade em 1981, e está na lista de patrimônios em perigo. A Jerusalém moderna cresceu para muito além dos limites da Cidade Antiga.

Perambulamos pelas ruas medievais da cidade murada. É desejável ter um guia turístico por aqui (seja um profissional ou impresso). Para onde você olha tem história, então é bom você não perder nada. A cidade é completamente intensa.

Pelos mercados de Jerusalém

Recomendo a hospedagem próxima da cidade velha, para poder ir e voltar várias vezes.

Nosso hotel Capitol está localizado no bairro árabe da cidade

Tem de tudo aqui! Restaurantes dos mais simples aos mais sofisticados, mercados e monumentos históricos.

Vitrine de guloseimas típicas dentro das muralhas de Jerusalém

As pessoas são muito tranquilas, e não tive nenhum problema! Me senti bastante segura.

Um programa imperdível que fizemos foi o Show de Luzes e Sons na Torre de David. Foi lindo a luz contando história nas paredes da fortaleza.

É proibido fotografar o show. Imagem retirada do site da atração. Compre aqui o seu ingresso. https://www.tod.org.il/en/the-night-spectacular/

Apesar do frio absurdo que eu senti, a gente aproveitou muito. A música selecionada era emocionante e as imagens claras e fáceis de assimilar. Aproveitamos muito e realmente adoramos esse show.

A Torre de David é uma antiga cidadela localizada próxima à entrada do Portão de Jafa na Cidade Velha de Jerusalém. É aqui que ocorrem os shows.

Depois que saímos do show, fomos jantar no Shopping Mamilla. É um calçadão com lojas de grifes em prédio histórico reformado. Fizemos isso tudo a pé, sem ficar com nenhum receio de andar à noite por ali.

Jantar com vinho israelense no Joy Restaurant, Mamilla Rd 13, Jerusalem, Israel

O significado religioso de Jerusalém

Impossível vir aqui e não falar da importância que Jerusalém possui em relação ao cristianismo, judaísmo, e islamismo.

A cidade é sagrada para os cristãos não apenas por causa da história do Antigo Testamento mas também pelo seu significado na vida de Jesus. De acordo com o Novo Testamento, Jesus foi levado para cá logo após seu nascimento. Ela é mencionada na Bíblia 632 vezes. Outro lugar bem cristão em Jerusalém é o Gólgota, o local da crucificação. O Evangelho de João o descreve como sendo localizado fora de Jerusalém, mas evidências arqueológicas recentes sugestionam que Gólgota fica a uma curta distância do muro da Cidade Antiga. O local ocupado pelo Santo Sepulcro é considerado um dos principais candidatos para o Gólgota e ainda tem sido um local de peregrinação de cristãos pelos últimos dois mil anos.

Na fila para visitar o Santo Sepulcro, que fica dentro de uma Basílica do século IV conhecida pelos cristãos como o local onde está a Tumba de Jesus, Jerusalém, Israel.
Santo Sepulcro, Jerusalém, Israel

Caminhamos pela Via Dolorosa. Essa rua fica na cidade velha de Jerusalém, que começa no Portão do Leão (lion gate), passando pela Igreja da Flagelação terminando na Igreja do Santo Sepulcro.

De acordo com a tradição cristã, foi por este caminho que Jesus Cristo carregou a cruz, foi crucificado e ressuscitou. A rua possui nove das quatorze estações da cruz. As 5 últimas estações estão no interior da Igreja do Santo Sepulcro.
Abadia da dormição, Jerusalém, Israel. De acordo com a tradição local, foi aqui, próximo ao local da Última Ceia, que a Virgem Maria morreu. Na ortodoxia e no catolicismo, e também na linguagem da Bíblia, a “morte” é geralmente chamada de “sono” ou “dormição”, e foi daí que surgiu o nome original do mosteiro, sendo que a igreja foi chamada de Basílica da Assunção (ou Basílica da Dormição).

A importância que a cidade tem para os judeus vem desde que o Rei David a proclamou como sua capital no século X a.C. Foi também o local do Templo de Salomão e do Segundo Templo. Hoje, o Muro das Lamentações, um remanescente do muro que contornava o Segundo Templo, é o segundo lugar sagrado para os judeus perdendo apenas para o Santo dos Santos no próprio Monte do Templo, que também estão localizados por aqui.

Muro das Lamentações, Jerusalém, Israel

Sinagogas ao redor do mundo são tradicionalmente construídas com o seu Aron Hakodesh (uma espécie de arca onde guarda o livro sagrado, Torá) voltado para Jerusalém.

Muro das Lamentações: Viemos visitar o Muro das Lamentações para orar e depositar nossos desejos por escrito entre as ranhuras do muro. Dá para visitar os subterrâneos também.

Jerusalém é considerada a terceira cidade sagrada do Islamismo. Aproximadamente um ano antes de ser permanentemente trocada por Caaba em Meca, a quibla (direção da oração) para os muçulmanos era Jerusalém. A permanência da cidade no Islão, entretanto, é primariamente de acordo com a Noite de Ascensão de Maomé (c. 620). Os muçulmanos acreditam que Maomé foi miraculosamente trasportado em uma noite de Meca para o monte do Templo em Jerusalém, aonde ele ascendeu ao Paraíso para encontrar os profetas anteriores do Islão.

Monte do Templo, também chamado de Esplanada das Mesquitas. Aqui ficam as sagradas mesquita al-Aqsa e o Domo da Rocha. Atenção aos horários de funcionamento para visitação.

O primeiro verso do Alcorão notifica o destino da jornada de Maomé como a Mesquita de Al-Aqsa, em referência à sua localização em Jerusalém. Hoje, o monte do Templo é coberto por dois marcos islâmicos para comemorar o evento — A Mesquita de Al-Aqsa, derivada do nome mencionado no Alcorão, e a Cúpula da Rocha, que fica em cima da Pedra Fundamental, na qual os muçulmanos acreditam que Maomé subiu ao céu.

O Monte das Oliveiras é sagrado para judeus, cristãos e muçulmanos, e muitas tradições estão associadas a ele. Segundo a Bíblia, por exemplo, Jesus teria transmitido ali alguns de seus ensinamentos. Vá até lá, de preferência no pôr do sol, pois a vista é maravilhosa.

Lugares que infelizmente não conhecemos, mas recomendo incluir no seu roteiro em Jerusalém:

Visite as ruínas do Cardo, uma antiga rua cheia de colunas (romanas) recentemente restauradas.

Cardo Romano, foto retirada do site Wikipedia

A cidade fortificada de Jerusalém tem vários portões construídos no início do século XVI. Todos, exceto um (o Portão da Misericórdia) ainda servem Jerusalém e os visitantes que percorrem seus mercados e locais sagrados e históricos. No Zion Gate está localizado a Câmara do Holocausto, a Tumba do Rei Davi e o Cenáculo. Acredita-se que o Cenáculo é o salão da Santa Ceia onde Jesus fez sua última refeição com os apóstolos.

Mais informações sobre os Portões históricos da cidade acesse https://goisrael.com.br/goisrael/the-gates-of-jerusalem/

Minha amiga visitou Jerusalém e teve a oportunidade de conhecer o Memorial do Holocausto, e disse que é Imperdível.

NÃO SE ESQUEÇA DE CONTRATAR O SEGURO VIAGEM!

Faça uma cotação sem compromisso neste link que já inclui o cupom ELIZABETHWERNECK que garante o desconto de 5% na compra do seu seguro viagem!

Acompanhe minhas viagens em tempo real pelo Instagram >>@elizabethwerneck

Se você gosta das dicas do blog, ajude na sua manutenção, reservando seus hotéis e pousadas pelos links daqui. Isso não aumenta em nada o valor da sua reserva e gera um pequeno percentual revertido para o blog 😉

🛏 Pesquisando por hotel? Dê uma olhadinha no Booking.com! Você não paga nada a mais pela reserva, pode alterar e cancelar quando quiser, e ainda consegue os melhores preços.

Israel Oriente Médio Palestina

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: