A matemática é uma das ciências exatas mais importantes do mundo. Você já teve curiosidade sobre sua origem? Quando surgiu a matemática, onde e como? Qual foi a primeira mulher matemática do mundo? Neste artigo, vamos falar disso e também contar um pouco sobre a matemática financeira! 

Eu sempre tive muita dificuldade em aprender matemática. Acho que o ensino da matemática deve se tornar algo mais interessante para as crianças aprenderem de modo definitivo e natural. As pirâmides e templos do Egito revelam que os antigos egípcios possuíam muitas técnicas de matemática e engenharia
super avançadas para a época. Você sabia que a construção das pirâmides do Egito permanecem até hoje como um grande mistério? Isso porque não tem nenhum registro histórico que fale exatamente sobre todas as técnicas utilizadas pelos engenheiros daquela época. Essa pirâmide da foto é a primeira pirâmide do Egito, a pirâmide de Saqqara.

O que significa a palavra matemática:

A palavra matemática vem do grego máthema (μάθημα), que significa “ciência, conhecimento ou aprendizado” e matematikós (μαθηματικός), que significa “o fundamento do aprendizado”. 

Além disso, trata-se da ciência da maneira e da magnitude, e do que é mensurável e calculável nelas conforme a relação que existe entre elas.

A matemática originou-se das necessidades básicas do ser humano, em tempos pré-históricos, os humanos usavam ossos, dedos, madeira e pedras para calcular números. 

A importância não está apenas na matemática para concursos e exames: ela controla suas atividades porque não há processo econômico. Calcular e listar as necessidades naturais da vida diária é a base da pesquisa e do desenvolvimento matemático.

Origem da Matemática

No mundo ocidental, a matemática se originou no antigo Egito e nos impérios babilônicos por volta de 3500 a.C No entanto, ambos os impérios desenvolveram um sistema de contagem e medição para permitir a tributação de seus súditos, organização do plantio e colheita, construção de edifícios e outras funções.

Portanto, outros povos americanos, como os astecas e incas, também criaram sistemas complexos de contagem com o mesmo propósito.

A origem da matemática na Grécia

Visto que a Grécia antiga foi o berço da lógica, ciência e filosofia, não é surpreendente que houvesse uma enorme demanda para o desenvolvimento da matemática. Os gregos alcançaram seu momento áureo da matemática entre 1.100 A.C e 400 D.C. 

Grandes nomes da Matemática:

Surgiram grandes nomes, como Euclides, Aristóteles, Platão, Arquimedes, Pitágoras e Tales de Mileto. Portanto, a origem da matemática está frequentemente relacionada à Grécia. Além disso, a Grécia também tem uma das primeiras e mais importantes bibliotecas da história, a Grande Biblioteca de Alexandria, quando o Egito fazia parte desse enorme império histórico.

Biblioteca de Alexandria na atualidade

A matemática não era considerada uma ciência até a Grécia nos séculos 6 e 5 a.C., no entanto, os gregos não apenas consideravam a matemática como satisfatória às necessidades práticas, mas também a consideravam uma ciência. 

Ao contrário dos egípcios e babilônios, os gregos consideravam a matemática uma ciência, considerando questões relacionadas a processos infinitos, movimento e continuidade. Os gregos tentaram encontrar soluções para esses problemas, resultando no método da dedução de axiomas, composto por termos iniciais e desenvolvido através de definições e regras.

Nesse método, certas preposições com evidência são consideradas corretas e seguem a cadeia lógica para chegar a uma proposição mais geral. Quando um axioma (também chamado postulado) é uma frase que não foi provada ou demonstrada, mas ainda é tida como certa, a lógica do axioma aparece. 

Em outras palavras, aceitar uma teoria é um consenso. Além disso, os gregos encontraram várias dificuldades quando começaram a estudar o problema dos processos infinitos, especialmente aqueles que usam números irracionais. Por tanto, talvez seja por isso que eles mudaram da álgebra para a geometria.

Euclides, o matemático grego:

Além disso, por volta de 300 a.C., Euclides, um matemático grego, professor e escritor em Alexandria, escreveu um artigo sobre matemática e geometria chamado “Elementos”, com 13 livros no total. Entretanto, por causa desse trabalho, Euclides foi chamado de “Pai da Geometria”. Esta tese inclui provas matemáticas, proposições, axiomas e definições. 

O trabalho cobre a geometria euclidiana e os números elementares na versão grega antiga. Acredita-se que o objetivo de Euclides era combinar as três principais descobertas de seu tempo, a saber, a teoria da proporção de Eudoxo, a teoria dos números irracionais de Teeteto e a teoria dos cinco sólidos regulares em uma obra. 

Este livro é uma das primeiras obras matemáticas impressas depois do desenvolvimento da impressora móvel, e milhares de edições foram publicadas. Arquimedes de Siracusa foi outro grande matemático que apareceu depois do trabalho de Euclides. Ele introduziu um novo método chamado “método da exaustão” na geometria. No entanto, este foi o início do desenvolvimento posterior da teoria do limite. 

Apolônio, um matemático e astrônomo de Perga, contemporâneo de Arquimedes, começou a estudar as chamadas seções cônicas, ou seja, elipses, parábolas e hipérboles. 

Pitágoras também foi um grande matemático grego, que fez grandes contribuições para o desenvolvimento da matemática. Além disso, não é de admirar que ele seja chamado de “o pai da matemática”.

Hipátia: a primeira mulher matemática

Hipátia ou Hipácia foi uma filósofa neoplatônica grega do Egito Romano. Foi a primeira mulher documentada como tendo sido matemática. Foi chefe da escola platônica em Alexandria, também lecionou filosofia e astronomia, com inúmeras contribuições para a ciência. Foi assassinada de forma trágica por uma turba de fanáticos religiosos cristãos no período em que o império Romano começava a abraçar o cristianismo.

A história dela é contada no excelente filme Ágora (de 2009) com Rachel Weisz.

Hipátia, a primeira mulher matemática retratada pelo filme Ágora com Rachel Weisz

O declínio da matemática grega

Em dezembro de 641 a.C., a cidade de Alexandria caiu e o exército árabe participou da chamada guerra santa. Nesta guerra, a cidade foi arrasada e ocupada. O trabalho dos gregos no desenvolvimento da matemática como ciência cessou e muitas coisas foram esquecidas ou destruídas. 

Em sua reversão, os árabes conquistaram a Índia, onde encontraram aritmética e álgebra produzida por eles.

Os hindus introduziram um número sem precedentes: zero. Entretanto, esse feito causou uma verdadeira revolução na computação. Além disso, os árabes começaram a difundir a cultura hindu e os chamados “algarismos arábicos” foram introduzidos na Europa, que, na verdade, foi uma invenção dos índios.

O árabe Mohamed Ibn Musa Alchwarizmi foi um dos principais impulsionadores do renovado desenvolvimento da matemática. 

Esta é a força motriz da pesquisa matemática até hoje. Atualmente, a matemática é considerada a “Rainha da Ciência” porque é indispensável a todos. Além disso, sem matemática, é claro, não teríamos a evolução dos seres humanos a partir da tecnologia.

A matemática no Egito Antigo:

Já no Egito Antigo, o homem foi capaz de pensar a matemática sem se dar conta do que estava fazendo. A construção das pirâmides, a invenção de um calendário baseado pelo sol e também a criação de um sistema de numeração. Claro que nada disso seria possível, sem o avanço da matemática.

A invenção dos números

Quase todas as civilizações têm representações digitais, que geralmente são difíceis de lidar. Por exemplo, temos algarismos romanos e algarismos japoneses, com foco na representação gráfica do valor. 

Um grande problema com essa representação é que é fácil se perder ao fazer operações matemáticas. No entanto, ao fazer operações matemáticas em grandes números, é muito trabalhoso e o valor deve ser escrito em várias páginas.

Esta é uma das razões pelas quais os gregos desenvolveram bem a geometria, mas não tanto a aritmética. Podemos usar o exemplo dos algarismos romanos para ilustrar esse ponto: no sistema de algarismos arábicos, temos: 222 – 30 = 192. 

Em algarismos romanos: CCXXII-XXX = CCXCII. Dessa forma, podemos ver como é fácil fazer contas no sistema árabe, e é mais prático e simples.

Além disso, uma curiosidade muito interessante é o aparecimento do zero, poderá parecer estranho, mas o zero não é tão intuitivo quanto pensamos. Pense nas contas que foram feitas no passado, tome o comércio como exemplo: o que importa é a quantidade de alguma coisa, não a ausência dela. 

O comerciante não percebe que seu produto específico é zero, porque quando acaba, deixa de fornecê-lo. Hoje, o zero é extremamente importante em matemática e cálculos devido a sua aplicabilidade e versatilidade.

História da matemática moderna

A história de nossa matemática moderna deriva da elaboração elaborada de sua estrutura inicial, como a representação de números e o sistema decimal. Com o estudo contínuo dos fenômenos naturais, além das propriedades matemáticas, ainda estamos construindo cada vez mais materiais sobre eles.

Com o tempo, conseguimos desvendar muitos de seus mistérios, que agora foram aplicados a todos os ramos do conhecimento humano.

Como surgiu a matemática financeira:

matemática financeira é uma das partes da matemática geral que estuda a oscilação do dinheiro ao longo do tempo. Ela é muito utilizada nas atividades de nosso cotidiano, das atividades mais simples às mais complexas.
Quem deseja comprar um imóvel precisa escolher uma forma de pagamento, à vista ou parcelado. Por meio da matemática financeira será possível escolher a opção mais viável e que gere menos custos, calculando, por exemplo, os juros incididos nas prestações do financiamento ou o desconto na quitação no ato da compra. Dessa forma, a matemática financeira tem uma importância fundamental para a vida das pessoas.

Já a matemática financeira é bem mais jovem. A aritmética do pensador Treviso foi considerado o primeiro registro impresso de matemática financeira, datado de 1478. Treviso apresentou aplicações e práticas de troca, chamadas de escambo. Os cambistas eram responsáveis pela troca e mercantilização entre as diferentes moedas e com o passar do tempo desenvolveram também a emprestar e guardar dinheiro.