Anúncios

Veneza: Um giro pela Sereníssima visitando alguns pontos Turísticos

Acordamos nem tão cedo por causa do fuso horário, e se no Brasil a Iara levantava todo dia às 7 da matina, aqui em Veneza era por volta das 10 horas. A diferença de fuso horário da Itália para o Brasil é de 4 horas.

Esperando o Vaporetto na estação Lido di Venezia

Pois bem, depois do reforçado café da manhã pegamos o Vaporetto para ir pro Centro Histórico, e o clima do dia estava bastante instável. Começava a chover do nada e parava, e ficou assim o dia todo. 

E por aqui nos enfiamos em todos os labirintos e becos possíveis, e a dica de ouro é exatamente essa: Se perder em Veneza! A cidade é o mais lindo clichê que você vai querer visitar: misteriosa, apaixonante e romântica.

E não se preocupe, pois com o mapa offline do google maps baixado no celular, mesmo sem internet você não fica perdido pra sempre. Além disso, várias ruas possuem sinalização para a Basílica de San marco e para a ponte Rialto.

Chegando no Centro Histórico de Veneza. Detalhe para essa ponte com acessibilidade

Passamos pela Ponte dos Suspiros, suspirei de gratidão por estar em Veneza. Inclusive achava que a ponte tinha esse nome justamente por causa dos casais apaixonados que suspiravam de paixão quando em Veneza (hoje em dia é por esse motivo, sim!).

Construída no início do século XVII, a Ponte dos Suspiros é uma ponte que liga o Palazzo Ducale às Prigioni Nuove, que foi o primeiro edifício no mundo construído para ser uma prisão.

Então o nome dessa ponte foi dado porque a lenda diz que, nesse período, os prisioneiros (atravessando-a) suspiravam na situação de ver pela última vez o mundo externo. Que bad!

Então chegamos à popular e linda Praça San Marco, o cartão postal da cidade. Acredito que seja o lugar mais visitado e lotado de turistas.

Na praça São Marcos, e ao fundo o Palácio Ducale

Essa piazza foi construída no século IX, e tem sido desde sempre o coração de Veneza. Aqui ocorreram todos os importantes eventos da história da República de Veneza, e é onde ocorre até hoje muitos festivais.

Piazza de San Marco

Aqui também está localizada a Basílica de São Marcos, o Grande Canal, a Torre do Relógio, a Antiga Procuradoria, a Ala Napoleônica, a Nova Procuradoria, o Campanário, o Palácio Ducalle (Doge’s Palace), e a Biblioteca Marciana. Além desses edifícios existem cafés históricos, como o Caffè Florian e o Gran Caffè Quadri. Já o Museu Correr e o Museu de Arqueologia estão ali também. (Já anote esses nomes, porque vale muito a pena visitá-los durante sua estadia).

Igreja de San Marco! Maravilhosa

Esse site aqui te ajuda a organizar todas as entradas para as atrações acima descritas

Na praça tem também duas grandes colunas, uma com o Leão de Veneza, principal símbolo da cidade, e a outra uma estátua de São Teodoro de Amásia, o patrono (tinha que ser o San Marco, né).

Uma coisa interessante é que a Piazza de São Marcos é o lugar mais baixo de Veneza, então quando a água sobe no Mar Adriático por tempestades ou excesso de chuva é o lugar que inunda primeiro. A água é drenada para o Grande Canal, porém quando a maré sobe (em italiano, diz-se acqua alta) tem o efeito inverso, então a água do canal escoa para a praça.

Então nos embrenhamos em mais ruelas, e chegamos à Ponte Rialto, construída em 1181. Além de linda, toda branquinha, com vários arcos ela é famosa porque é a ponte mais antiga de Veneza. Ela foi a única ligação entre os dois lados do Grande Canal, até abrirem as outras travessias. No passado existia aqui um importante mercado, e os impostos arrecadados entravam no tesouro da cidade, para ajudar na manutenção da ponte. Atualmente em seu interior, continua funcionando várias lojinhas.

Ponte Rialto vista da embarcação

E por aqui também a vista do Grande Canal nos chamou a atenção. O Canałasso (nome em veneziano) é a maior via aquática de tráfego, e todo o transporte da cidade passa por aqui seja os vaporetti, os táxis aquáticos e até as gôndolas, recortando a cidade lindamente.

Vista aérea de Veneza – destaque do Grand Canal em formato de “S”, fonte: Google Earth
Grande Canal visto da Ponte Rialto

E mais bonito ainda são todos os outros pequenos canais espalhados por aqui! Cada parada era um flash! Vontade de tirar foto de cada um (são mais de 150!).

Engarrafamento Veneziano

Então paramos pra almoçar e nos deparamos com um restaurante super simpático no meio de uma pracinha chamado AcquaPazza.

Campo Sant’Angelo, onde fica o restaurante

Já salva esse nome se você quiser comer uma comida mediterrânea deliciosa. Achei o restaurante bastante elegante. O atendimento era muito atencioso, principalmente porque estávamos com uma criança de colo que não parava quieta.


A comida é muito gostosa e eu achei extremamente agradável a praça onde o restaurante se localiza. Foi uma parada excelente e importante no meu dia! Recomendo!

Minha pasta com tomates frescos e queijo, a pasta com frutos do mar do meu marido, e as entradinhas estavam de comer rezando de tão divinas. Não fizemos reserva, e o restaurante possui muitas mesas. Talvez no alto verão europeu fique mais cheio, mas se quiser garantir, porque tem poucos dias na cidade reserve aqui.

Então depois do almoço a chuva recomeçou, e fomos procurar abrigo num lugar mágico. Uma livraria que nos tele-transportou diretamente para um outro tempo, um outro mundo. Um lugar charmoso, com livros espalhados por toda parte!

Livraria Acqua Alta

Nossa, que incrível! Esta é uma livraria como nenhuma outra. Está escondido numa rua lateral que não parece nada do lado de fora, mas entre e fique maravilhado! Onde você viu os livros serem exibidos “a bordo” de uma gôndola? É absolutamente surreal.

A loja, que é um sebo mas também vende livros novos, é completamente abarrotada de livros e parece não ter nenhuma ordem específica em como eles são exibidos, mas isso apenas aumenta o charme. Como o proprietário e os funcionários encontram um livro específico para alguém eu não sei, mas é uma loja muito divertida.

Lá fora, nos fundos da loja, livros antigos foram transformados em degraus. Ao lado da loja, há um pequeno pátio com mesas e cadeiras e, mais uma vez, livros antigos foram usados para decorar as paredes e fazer exposições, pena que estava chovendo, então não deu pra aproveitar muito este espaço.

O interior fica muito cheio e não há muito espaço, mas também faz parte da experiência. Eles também vendem outros itens, como lembrancinhas turísticas, e nós definitivamente recomendamos uma visita. Sem contar que é super fotogênica, e você não sai de lá sem comprar alguma coisa! Eu comprei um livro de história para crianças em alemão. É a estória de um ursinho que visitou Veneza e minha filha adorou!

Ainda na livraria!

A livraria fica em um lado de Veneza que eu não conhecia, bem longe dos turistas de massa. Um lugar cheio de cultura e protegido por um gato, animal sagrado em Veneza. Você não pode perder.

Iara querendo descer do colo para explorar a livraria

Você não paga nada pra visitar a Livraria Acqua Alta, e seu endereço é Calle Lunga Santa Maria Formosa, 5176b, 30122 Venezia VE, Itália

E depois fomos tomar um café e um gelato por ali mesmo, entrando e saindo de canais.

Café no Campo di Santa Maria Formosa, Venezia VE, Itália

E não importa onde você está, sempre será caminho para a Piazza San Marco, e aqui chegamos novamente.

E aí fomos ao Campanile de São Marcos e vimos Veneza lá de cima.

Campanário ao fundo

Subimos de elevador e do alto a vista é maravilhosa, conseguimos avistar as outras torres das igrejas, os canais e as ilhas ao redor de Veneza.

Essa torre tem construção inicial no século IX, com 98,6 m de altura (é o edifício mais alto de Veneza) e fica num canto da praça, perto da entrada da basílica. Como todo campanário, contem 5 enormes sinos, e em seu topo tem um cubo decorado com leões (o símbolo do Evangelista São Marcos) e a representação feminina de Veneza (la Giustizia: a Justiça). A torre possui também uma agulha em forma de pirâmide, onde se encontra um cata-vento dourado com a figura do Arcanjo Gabriel. Nossa! Quantos detalhes rebuscados.

A torre no passado servia como um farol para os navegantes, além de ser um campanário. Depois de várias restaurações, adquiriu sua forma atual em 1515. Em 1902, a torre caiu e, dez anos depois, foi reconstruída da mesma forma.

Viemos no final da tarde para tentar pegar o pôr do sol, e não pegamos uma fila muito longa (Ô sorte). Então, se você quiser evitar as filas visite essa atração no início da manhã. (Viemos por volta das 17 horas, mas o sol se põe aqui nesse período do ano por volta das 20 horas, #failed Haha).

Vimos fantásticas vistas da cidade e pagamos 8 € o bilhete.

Depois que descemos do campanário a Torre do Relógio (Torre dell’Orologio) chamou nossa atenção. É um bonito prédio construído entre 1496 e 1499 com inspiração renascentista, na própria Praça de São Marcos mesmo.

O engenhoso relógio Astronômico, feito em mármore, esmalte e ouro, mostra as horas, as estações do ano, o dia, as fases da lua, os cinco planetas então conhecidos na época: Saturno, Júpiter, Marte, Vênus e Mercúrio, e os elementos do zodíaco. Duas estátuas de bronze (um homem mais velho e um mais jovem) batem as horas no sino (eles representam a passagem do tempo). Eita, que eu quero um relógio desse lá pra casa!

As horas são indicadas por um ponteiro dourado enfeitado por uma imagem do sol. Os signos do zodíaco giram mais lentamente que o ponteiro para mostrar a posição do sol no zodíaco. No centro do mostrador esmaltado em azul ficam a terra e a lua que gira para mostrar suas fases, cercadas por estrelas sempre na mesma posição.

Você também consegue subir nessa bonita torre e deve ser uma experiência bem enriquecedora. Um detalhe é que ela soa a cada hora.

É possível acessar o topo da torre por 12 euros. A subida é por uma escadaria em espiral, mas vale o sacrifício para apreciar a vista do alto da torre… é simplesmente maravilhosa!!!

Visite o site: https://torreorologio.visitmuve.it/ para mais informações e agendar sua visita.

E depois rumamos para o píer para pegar nosso Vaporetto para voltar pro nosso hotel no Lido.

E daqui avistamos a ilha bem em frente à Praça de São Marcos: San Giorgio Maggiore

Vai viajar com criança pequena à Itália?

Uma dica bacana é tentar envolver a criança nesse projeto bem antes da viagem começar, de modo lúdico e conhecer o destino, pra já ir curtindo antes mesmo de ir. Pesquisando no YouTube achei um desenho animado chamado Viaja Clarinha, que tem um episódio sobre a Itália. Parece ser uma série animada infantil, com diferentes episódios e que na linguagem das crianças mostra alguns destinos turísticos do mundo. É bem curtinha e as crianças adoram, já indo pro lugar com a música e as imagens já na cabeça. A criança se diverte e já começa a entrar na viagem, e conhecer o mundo. Se quiser, confira aqui no canal Viaja Clarinha todos os episódios e destinos.

E aí, gente? Gostaram de acompanhar o dia pelos Canais em Veneza com algumas doses de história e fotografia? Não percam o próximo post da Sereníssima. 

Europa Itália

Anúncios

1 comentário Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Travel Around the World

Vem descobrir o Mundo connosco...

CONTO EM DETALHES

Crônicas, histórias, poesias e percepções.

Elizabeth Werneck

Um blog para falar sobre viagens e outros assuntos

WordPress.com

WordPress.com is the best place for your personal blog or business site.

%d blogueiros gostam disto: