Chile: Descubra aqui tudo para sua viagem

Assim como a Argentina, o Chile costuma ser um dos destinos favoritos de nós brasileiros. Eu mesma já fui duas vezes e penso em voltar mais outras duas.

No verão Chileno. Peulla é uma vila próxima da fronteira com a Argentina, bastante visitada por turistas. O local chama atenção pelos bucólicos cenários onde a natureza manda.

Um país completo, com uma geografia bem privilegiada para excelentes experiências ao ar livre.

E por aqui tem além do deserto mais árido do mundo –Atacama–, a linda Cordilheira dos Andes, o oceano Pacífico, a Patagônia chilena, com inúmeros vulcões (mais de cem!), geleiras, fiordes, lagos e etc.

Navegando no Lago de Todos los Santos na patagônia chilena


Boa parte de seu território corresponde a áreas protegidas onde o turista encontra uma incrível flora e fauna, além de uma das ilhas mais exóticas do planeta: a Ilha de Páscoa.

Os Moais são estátuas gigantescas de pedra espalhadas pela Ilha de Páscoa, no Chile, construídas entre 1250 e 1500 pelo povo Rapanui. Existem apenas 3 “moais” fora da ilha, e esse é um deles que fica na entrada do Museu de Arqueologia em Viña del Mar, Chile.

O país já foi escolhido (mais de uma vez) como o ‘melhor destino de turismo de aventura do mundo’ pelo famoso “World Travel Awards”, que é considerado o “Oscar do turismo”, então com certeza, é um destino imperdível para se visitar.

Ao fundo o famoso Licancabur. Vulcão localizado entre o Chile e a Bolívia, nas proximidades de San Pedro do Atacama, no Chile, e a sudoeste da Laguna Verde, na Bolívia.

Localizando o Chile:

O país ocupa uma longa e estreita faixa encravada entre a cordilheira dos Andes e o oceano Pacífico. Faz fronteira ao norte com o Peru, a nordeste com a Bolívia e a leste com a Argentina. É um dos dois únicos países da América do Sul que não tem uma fronteira comum com o Brasil, além do Equador.

Mapa retirado do site ephotopix.com

Um pouco da História do Chile:

Antes da chegada dos europeus no século XVI, o norte do Chile estava sob o domínio Inca, enquanto os índios Mapuches (também conhecidos como Araucanos pelos colonizadores espanhóis) habitavam o centro e o sul do território.

Jantar no restaurante Bali Hai em Santiago. Comida gostosa e entretenimento mostrando a cultura do país através da dança folclórica. Recomendo bastante. Av. Cristóbal Colón 5146, Las Condes, Región Metropolitana, Santiago.

O Chile declarou sua independência em 1817, e na Guerra do Pacífico (1879–83), o país venceu a Bolívia e o Peru e conquistou as regiões do norte. Em 1973 surgiu grave instabilidade política e como consequência emergiu um governo autoritário (1973–1990), se convertendo em uma das mais sangrentas ditaduras do século XX na América Latina, que matou mais de três mil pessoas.

Depois disso o país retomou a democracia, ficando muito tempo estável, próspero e considerado um dos melhores em termos de desenvolvimento humano da América do Sul.

Do alto do Sky Costanera. O mirante mais alto da América Latina em Santiago, Chile.

Em 2019 explodiu várias manifestações anti-governo, e a capital Santiago ficou bem afetada. No entanto, essa situação já passou, então pode vir sem problemas.

Quando ir ao Chile?

Eu acredito que durante todo o ano é ótimo. Depende do que você quer aproveitar. As duas vezes que eu vim foi no verão, meses de dezembro e janeiro. Em Santiago fez um calor forte durante o dia, e à noite as temperaturas ficaram bem mais frescas, e na Patagônia o clima estava super gostoso e muito agradável tanto de dia quanto a noite (mas leve um casaco).

Subindo de teleférico no Vulcão Osorno, durante o verão na Patagônia Chilena, sul do país. Chão cheio de neve
Vulcão Osorno no verão

Se você faz questão de brincar na neve (soltar seu lado Frozen) vá de julho a setembro (e se prepare para temperaturas mínimas abaixo de zero e máximas pouco acima de 10°C).

Lembrando que Santiago não tem o costume de nevar (apesar de que uma amiga já pegou neve aqui), e sim nas montanhas ao redor da capital. Em maio, junho e outubro ainda pode ser possível encontrar neve no alto da montanha também. Mas de novo: a natureza é imprevisível, então tudo pode acontecer.

Neve em Santiago no mês de julho. Foto: Marina Monteiro de Castro

Réveillon em Santiago

Passamos o Réveillon na capital chilena. Nosso hotel tinha um jantar com vários pratos e vinhos chilenos. Foi muito agradável, mas não vimos a festa nas ruas da cidade.

Réveillon na capital Chilena!

O lugar mais tradicional para ver a queima de fogos é na Torre Entel, onde a população se reúne na frente do Palácio de La Moneda, na Avenida Alameda. Além dos fogos, ocorrem shows com música ao vivo e muita dança. Ah, e chegue cedo, porque o lugar lota, e compre um espumante (nacional, por favor) para brindar na virada do ano. A festa na rua dura até tarde e é de graça.

Ouvi dizer também que uma festa bem animada ocorre nas cidades praianas de Valparaíso e Vina del Mar (bem pertinho da capital).

Como chegar ao Chile

A primeira vez que fui voei do Rio de Janeiro direto até Santiago, então provavelmente sua porta de entrada no país seja por aqui. Existem vários vôos diretos entre Brasil e Chile. Veja aqui a melhor opção, pela Latam, Gol e Avianca.

Sobrevoando a Cordilheira dos Andes no verão! Coisa linda!

Já a segunda vez, entrei no Chile pela fronteira da Argentina na linda navegação pelos Lagos Andinos.

Por onde andamos no Chile 

Na primeira vez foram 4 noites em Santiago e ficamos no Hotel Torremayor Lion e na segunda vez 3 noites no Hotel Torremayor Providência. Os hotéis são próximos e da mesma rede. Gostamos muito de ambos hotéis.

Procure no Booking um hotel em Santiago.  

Vista linda do Hotel Torremayor Providência, no último dia do ano em Santiago. Detalhe para a Cordilheira dos Andes e o Sky Costanera.

Em Santiago fizemos diversos passeios. Visitamos as cidades próximas de Vina del Mar e Valparaíso, vinícolas, e diversos passeios pela bela cidade.

Depois fomos para a região da Patagônia Chilena e ficamos hospedados 3 noites em Puerto Montt (Hotel President Suítes Puerto Montt) e 2 noites em Puerto Varas (Hotel Cabaña del Lago Puerto Varas) e visitamos a região como Frutillar, Saltos del Rio Petrohué e o imponente Vulcão Osorno.

Piscina aquecida incrível no Hotel Cabaña del Lago, Puerto Varas, Chile. A temperatura externa estava por volta dos 10 graus.

O Hotel é excelente, com uma vista maravilhosa para o lago Llanquihue e para os vulcões da região.

Comidas e bebidas típicas no Chile:

Vamos começar falando sobre o vinho chileno, um dos mais premiados do mundo. A produção desta bebida é muito antiga, datada do século XVI, quando os conquistadores espanhóis trouxeram videiras no período da colonização.

Undurraga: Linda Vinícola na cidade de Talagante, a 34 km de Santiago.

Quando visitamos a Vinícola Undurraga o Somelier disse que por causa do país estar situado entre o Oceano Pacífico e a Cordilheira dos Andes, está bem “protegido” da incidência de pragas que atacam os vinhedos.

Degustação e piquenique na Vinícola Undurraga.

O país possui mais de 115 mil hectares de vinhedos plantados, dentre os quais metade é ocupada por vinhas da uva Cabernet Sauvignon, mas também encontramos Merlot e a Sauvignon Blanc. 70% da produção total do país destina-se a vinhos tintos.

Além do vinho bebemos também o Pisco, uma aguardente de uva, produzidas respectivamente no Peru e no Chile.

Pisco Sour é o drink mais famoso: Vai aí a receita: 200 ml de Pisco, Suco de 3 limões, 1 colher de Açúcar (ou a gosto), 1/2 bandeja de gelo em cubos (ou a gosto) e 1 clara de ovo. Bata o Pisco junto com os limões, pode colocar menos suco de limão se achar muito forte. Coloque o açúcar a gosto e os cubos de gelo, bata bem. Por último coloque a clara de ovo que faz com que o Pisco fique espumante e mais saboroso.

Sobre as comidas comemos pastel de Choclo, um prato preparado com milho e carne moída ou frango, manjericão e azeitonas pretas; as Chorrillanas que consiste em um prato de batatas fritas coberto com diferentes tipos de carnes fatiadas, salsichas, ovos mexidos ou fritos e cebolas fritas. Devido ao seu tamanho grande, geralmente é servido como um prato para compartilhar.

Nosso conhecido Ceviche que tem como base o peixe cru marinado em suco de limão ou lima.

Também experimentamos o Lomo a lo pobre, o filé coberto com ovos e batatas fritas ou arroz, além das cebolas e bananas fritas.

O que comprar no Chile?

Eu particularmente acho o Chile caro, mas sempre dá pra trazer alguma coisa na mala, né?

A primeira coisa que está nessa lista são os vinhos Chilenos, muitos possuem o preço bem abaixo do Brasil.

Compramos esse vinho na Undurraga.

Se você quiser comprar roupa será necessário vir no final da temporada para pegar bons descontos. Eu fui depois do natal e várias lojas como a Zara e a H&M estavam em liquidação.

Adoro o artesanato daqui e comprei um lindo lenço cheio de Llamas coloridas que já usei várias vezes.

Feira de artesanato próxima ao Cerro Santa Lúcia, Santiago, Chile.

Outra coisa que eu adoro são as lindas peças de Lapis lazuli. É uma pedra semipreciosa e o Chile e o Afeganistão são os únicos países do mundo em que ela é extraída e manipulada em grande escala para se tornar jóias.

Escultura em lápis-lazúli. Foto da Wikipedia.

Informações essenciais para visitar o Chile:

Brasileiros não necessitam de visto e nem de passaporte! O Chile tem acordo diplomático com o Brasil, e permite entrar no país usando apenas o documento de identidade, o RG.
Mas dizem que a carteira de identidade tem que estar com uma foto sua atual, e precisa ter menos de 10 anos. De qualquer forma eu nunca viajei só com o RG. Eu prefiro viajar com o passaporte porque eu me sinto mais segura. Se for o caso, deixe o passaporte no cofre do hotel e saia só com o RG. Ah, uma coisa que eu indico muito mesmo não sendo obrigatório é o seguro viagem. Com certeza não dá pra viajar sem, pois é uma segurança. Acesse aqui as melhores cotações dos seguros.

Que moeda se usa no Chile?

A moeda no Chile é o peso chileno.

Lembrando que o Chile isenta os turistas estrangeiros que estejam há menos de 60 dias no país do IVA (imposto sobre valor agregado) nas diárias dos hotéis. Este imposto só é cobrado dos chilenos e dos estrangeiros residentes.

Não são todas as hospedagens que podem te isentar. Apenas os estabelecimentos registrados no “Serviço de Impostos Internos do Chile”. Em regra são nos hotéis e hostels e você só saberá esta informação perguntando a eles mesmo. No Airbnb, você precisa perguntar ao anfitrião, já que vai depender.

Para obter esses 19% de desconto é necessário pagar a conta em dólar (dinheiro vivo) ou em cartão de crédito internacional, e a fatura tem que estar expressa em dólares. A fatura da hospedagem será considerada um ‘recibo de exportação’. A conversão é feita pela cotação oficial, e não fica mais caro, compensando muito. 

Eu nunca levo real para os países que eu viajo. Sempre compro dólar no Brasil, no estabelecimentos oficiais e troco pela moeda quando chego no país, além do cartão de crédito. Meu marido saca diretamente a moeda local nos caixas-rápidos que encontramos durante a viagem. 

Conheço muita gente que para o Chile e Argentina leva real e troca por peso chileno nas casas de câmbio além do cartão pré-pago.

No Chile tem terremoto?

O país está numa zona de encontro entre duas placas tectônicas, a de Nazca e a Sul-Americana. E como elas estão em movimentos opostos, o país tem, além de terremotos, vulcões e cadeias de montanhas em toda costa. Dizem que quanto mais bonito o país, mais fenômenos geológicos ele possui.

Ojos del Salado: é um vulcão com 6893 metros de altitude, considerado o mais alto vulcão do mundo, e a segunda montanha mais alta de todo o Ocidente, além de ser a mais alta do Chile. Faz parte do círculo de fogo do Pacífico. O seu nome provém de enormes depósitos de sal que, na forma de lagoas ou “olhos”, surgem nos seus glaciares. Foto retirada da Wikipedia.

Pra você ter uma ideia a última vez que fomos à Santiago a gente sentiu um leve tremor quando estávamos no hotel, com a cama saindo do lugar. 

Saiba que o país se preparou bastante e suas construções são antiterremotos. Ou seja, as regras para a cosntrução civil preveem o uso de concreto e aço, que devem ser suficientemente flexível e resistente para permitir que uma construção se mova e balance, mas não caia.

E aí pessoal? Animais para conhecer o Chile? Eu não vejo a hora de voltar!

Américas Chile

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: