Você já pensou em visitar Juiz de Fora? Uma cidade mineira apaixonante, tem uma população de 573.285 habitantes (dados de 2020). Descubra aqui um pouco da história de Juiz de fora e alguns dos motivos ela ser tão pitoresca e especial. Você sabia que a cidade de Juiz de Fora sempre teve o apelido de Manchester Mineira? No texto explica um pouco sobre isso, não perca!

Importante: Se você precisa comprar Euros ou Dólares para uma viagem ao exterior, você tem que conhecer a Wise!
Eu viajo muito e as melhores taxas de câmbio encontro sempre na Wise. Sem falar no cartão VISA deles que pode ser solicitado gratuitamente e utilizado no exterior debitando direto da sua conta Wise internacional sem tarifas ocultas nem IOF, com praticidade e segurança.
Entre para a Wise é gratuito.

O professor da Faculdade de Engenharia da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) Cristiano Casagrande e autor do livro “Iluminação Pública: Panorama, Tecnologias Atuais e Novos Paradigmas” é Juiz-forano, e escreveu essa crônica sobre sua cidade que é muito afetiva para ele ( e pra mim também). Não deixe de conferir.

Booking.com

Leia também: Bar do Bigode e Xororó em Juiz de Fora tem o melhor torresmo do mundo

Juiz de Fora: linda cidade da Zona da Mata Mineira. Sua história é incrível
Juiz de Fora: linda cidade da Zona da Mata Mineira. Sua história é incrível

Juiz de Fora: a cidade mineira com espírito pioneiro

Manchester Mineira. Princesa de Minas. Farol da América. Juiz de Fora é ou já foi conhecida por esses e outros títulos. Cada um deles, à sua maneira, ressaltam o espírito vanguardista da cidade, que permanece intrínseco ao imaginário do juiz-forano.

O apelido de Manchester Mineira surgiu pela marcante presença de fábricas e suas chaminés entre o final
do século XIX e início do século XX, assemelhando a paisagem urbana à cidade inglesa. Já o título de Farol da América origina-se do fato de Juiz de Fora ter abrigado a primeira usina hidrelétrica de grande porte da América do Sul, a Usina Hidrelétrica de Marmelos, em 1889.
A usina foi construída pelo empreendedor Bernardo Mascarenhas para alimentar sua
companhia têxtil e o excedente da eletricidade era destinado à iluminação das vias públicas.

O pioneirismo não para por aí. Juiz de Fora era uma das cidades mais industrializadas do Brasil no início do século XX e sua arquitetura era moderna, com forte influência europeia, bem diferente de outras cidades mineiras. Além disso, o município já possuía uma vida cultural intensa, contando com o primeiro teatro arrojado de Minas, com cinema, inclusive – o Cine-Theatro Central; além do primeiro museu do estado, o Museu Mariano Procópio, com um dos mais importantes acervos do período imperial brasileiro.

O juiz-forano orgulha-se em falar do pioneirismo da cidade nos mais diversos campos. Além do que já foi mencionado, por aqui surgiu a primeira escola de samba fora do Rio de Janeiro, uma das primeiras emissoras de TV, o estádio de futebol mais moderno na época, o Estádio do Sport, e por aí vai. Talvez alguma coisa ou outra seja exagero dos cidadãos mais entusiasmados, lendas que se tornaram parte do imaginário coletivo, o que, no entanto, só reforça a identidade de vanguarda da cidade.

História viva de Minas Gerais:

Muitas dessas histórias permanecem vivas e se realimentam nos locais que ainda hoje existem e podemos visitar em um passeio turístico pela cidade. Você pode começar com um passeio pelo Calçadão da Rua Halfeld, percorrendo as inúmeras galerias da região central, que formam um shopping a céu aberto, além de apreciar a arquitetura de alguns prédios históricos, como os prédios da Prefeitura e da Câmara Municipal, exemplares da influência europeia na arquitetura da cidade no início do século XX, o Cine-Theatro Central, o edifício do Banco de Crédito Real e o conjunto arquitetônico da Praça da Estação.

O Cine-Theatro Central, em Juiz de Fora

Você pode visitar o complexo do Centro Cultural Bernardo Mascarenhas, onde funcionava a antiga Companhia Têxtil Bernardo Mascarenhas, além da própria Usina Hidrelétrica de Marmelos, que funciona até hoje.

As muitas galerias do centro da cidade, conectando diversas ruas, conferem um ambiente peculiar a Juiz de Fora. Não deixe de visitar a elegante Galeria Pio X, a primeira a ser construída e inaugurada em 1925, quando só existia uma galeria desse tipo no Brasil, a Galeria Cruzeiro, no Rio de Janeiro. Mais um pioneirismo.

Conclusão:

Juiz de Fora carrega consigo a identidade do espírito pioneiro e da singularidade. Para o juiz-forano, o torresmo do Bar do Bigode é o melhor do Brasil, a pizza de queijo do Bar do
Futrica você não vai encontrar em lugar nenhum do mundo, o bolo de glacê da Fábrica de
Doces Brasil é incomparável, os cafés ao lado do Cine-Theatro Central lembram Paris e as
galerias e calçadões do Centro se assemelham a Buenos Aires. Quando vier a Juiz de Fora,
aproveite todos esses lugares, a culinária local, os bares, os restaurantes, as casas noturnas, os
passeios turísticos, as pessoas. Sinta o ar de vanguarda dessa cidade mineira única.

Cristiano Casagrande
08/01/2022

Veja o livro do autor da crônica.