10 cidades na Holanda: viagem e turismo entre flores, canais, bicicletas, moinhos e cervejas

Foto típica da Holanda. Amsterdam. Foto: Ingrid Lima

O nome verdadeiro da Holanda, em holandês, é Nederland, que significa países baixos. Você sabia que boa parte dessa região fica abaixo do nível do mar?

Mas nós, brasileiros, chamamos mesmo é de Holanda. E acho que a maioria do mundo também chama.

O país ficou conhecido como Holanda porque suas duas províncias mais populares se chamam Holanda do Sul e Holanda do Norte.

Mapa dos Países Baixos dividido em províncias. Retirado da Wikipedia

Então aqui visitamos alguns lugares bem bonitos e fáceis de chegar. O transporte público no país é incrível, te leva pra todo lado. Vou listar 7 lugares que visitamos e 4 que, infelizmente não conhecemos, mas que não deve ficar de fora da sua viagem.

1- Amsterdam

Capital do país, era uma das cidades que mais queria visitar na minha vida. E não decepcionou nem um pouco, a cidade respira história e juventude.

Fundada por volta de 1200, Amsterdam atualmente é um lugar de beleza e uma grande variedade de atrações.

Vários museus de renome mundial, cervejas de qualidade inquestionável, flores coloridas, parques urbanos, mercados de rua e muita liberdade! Tudo aqui prende sua atenção e te faz pensar em como essa sociedade é avançada.

Propaganda de Evento em Amsterdam
A Praça Leidseplein e seus arredores são uma das zonas mais animadas de Amsterdam. Por aqui você encontrará um monte de gente atenta ao jogo de xadrez que acontece em um tabuleiro gigante.

2- Delft, Países Baixos

Essa bela cidade universitária é famosa pela sua porcelana azul e branca introduzida pelos ceramistas que imigraram da Itália no século XVI. Inclusive aqui tem fábrica aberta para visitação.

Delft, Países Baixos.

Na cidade está enterrado Guilherme de Orange (1533-84) que liderou a Revolta Holandesa contra o império espanhol. Seu túmulo é ricamente decorado e está na Igreja Nieuwe Kerk.

Além disso os Museus da cidade são imperdíveis. O Stedelijk Museum Het Prinsenhof contém objetos antigos da família real holandesa como louças, belas tapeçarias, prataria, esculturas e retratos pintados. Já o Volkenkundig Museum Nusantara contém peças trazidas da Indonésia por mercadores que trabalhavam para a histórica Companhia Holandesa das Índias Orientais.

A Companhia Holandesa das Índias Orientais (em holandês,Vereenigde Oost-Indische Compagnie, com a sigla VOC) foi uma companhia formada por holandeses, em 1602 – dois anos depois da formação da Companhia Inglesa das Índias Orientais – com o objetivo de tentar excluir os competidores europeus daquela importante rota comercial. Dizem que o capitalismo começou aí.

Já na igreja do século XIII, Oude Kerk, está o túmulo do artista Jan Vermeer (1632-75).

3- Haia

Apesar de Amsterdam ser a capital propriamente dita, Haia (Den Haag) é a sede oficial do governo, que abriga a monarquia dos Países Baixos, o Parlamento, o Supremo Tribunal e a Corte Internacional de Justiça.

Por aqui tem um castelo maravilhoso que é sede do atual Parlamento. Uma construção gótica do século XIII, e possui visita guiada ao público em certos dias da semana.

Binnenhof, sede do Parlamento holandês em Haia
Na Estação de trem em Haia, Países Baixos.

Aqui também tem ótimos museus com obras dos extraordinários mestres Rembrandt, Jan Vermeer, etc.

Moça com o Brinco de Pérola. Pintura do artista neerlandês Johannes Vermeer de 1665, e está no museu Mauritshuis em Haia. É muitas vezes referido como “a Mona Lisa do Norte” ou “a Mona Lisa holandesa”.

4- Lisse, cidade do Parque Keukenhof

Por aqui não visitei a cidade propriamente dita, mas o parque de flores chamado Keukenhof.

É considerado o maior jardim de flores do mundo. De acordo com a página oficial do parque Keukenhof, sete milhões de flores são plantados anualmente no parque. Pra mim é uma das 7 maravilhas do mundo. Contei mais sobre minha visita ao Keukenhof aqui.

5- Zaanse Schans

É basicamente um bairro da cidade de Zaandam, perto de Zaandijk, Holanda. É muito conhecido e turístico por seus belos moinhos de vento e casas típicas bem preservadas.

Imagine a cena: vários moinhos de vento juntos, cercados tanto pelas águas do rio Zaan, quanto por pastos cheios de bichinhos como carneiros, boi e ovelhas, além das construções históricas que abrigam uma fazenda que faz um queijo delicioso e oficina de tamancos de madeira. A definição de Holanda foi atualizada com sucesso.

O interessante aqui é que além da vila ser muito turística muitos moinhos ainda funcionam de verdade, estando abertos para visitação.

Um moinho por dentro

Tem moinho que produz tintas e pigmentos, tem outro que corta e vende madeira. Já em outro moinho são produzidos farinha para pães, etc.

A minha dica de Ouro é que você visite a vila em dia de clima bom – ou seja, sem chuvas – o que eu não consegui, peguei chuva a maior parte do tempo. Mas não vou reclamar porque eu prefiro pegar chuva na Holanda, viajando do que em casa.

Não deixe de visitar o museu Zaans. Aqui tem uma completa coleção de pelo menos 30 mil objetos, além de ter diversas informações sobre o período que o Mestre Claude Monet morou na vila. Ele ficou tão apaixonado pela paisagem que retratou-a em 25 quadros e 9 esboços.

CLAUDE MONET 1840 – 1926 UN MOULIN À ZAANDAM. Imagem retirada da Wikipedia

6- Visita a cervejaria mosteiro La Trappe em Tilburg

A cervejaria La Trappe foi visitada num bate e volta de Amsterdam. No entanto ela também pode ser visitada como pit-stop numa viagem a Bruxelas, Bélgica.

Beergarden na abadia de Koningshoeven. Mosteiro trapistas fundado em 1881.

Foi um passeio bem agradável e bem organizado, apesar da visita guiada ter sido toda em holandês. Por aqui tem uma loja com produtos, um restaurante com beergarden, além da degustação da cerveja.

Eu não me considero cervejeira (apesar de gostar de beber), mas meu marido é e adora a cerveja trapista.

Trapista não é um estilo de cerveja, mas sim uma cerveja que foi feita respeitando alguns critérios: é importante que seja feita dentro de um mosteiro da Ordem Trapista, sob orientação dos monges e o lucro deve ser destinado exclusivamente para sua subsistência e doações.

Dizem que no mundo todo só existem 11 cervejarias consideradas trapistas pela International Trappist Association, e esse mosteiro aqui é um deles.

7- Maastricht

De Ghent, na Bélgica, indo para Colônia, Alemanha, existe uma bonita cidade holandesa no caminho.

Estrada indo para Maastricht

Maastricht é considerada uma mistura de Itália com Holanda por causa da arquitetura e das construções romanas que tem por aqui.

Mastrique, em português é uma cidade bem bacana, e pode ser conhecida em apenas um dia. Claro que passar a noite aqui não é má ideia.

É uma das cidades holandesas mais antigas. Inclusive em alguns sites dizem que é a mais antiga da Holanda. A cidade foi fundada pelos romanos e graças a essa colonização, Maastricht possui, ao mesmo tempo, a arquitetura romana e a holandesa.

Castelo Medieval em Maastricht, Países Baixos

A cidade é bem pequena, e se divide entre as duas margens do rio Mosa. A estação de trem está de um lado e o centrinho histórico de outro, sendo muito tranquilo fazer esse caminho a pé.
Lá é possível também visitar uma igreja medieval que foi transformada em livraria.

Rio Mosa, em Maastricht, Países Baixos.

Ah, e uma curiosidade. Você sabia que D’Artagnan, da história dos Três Mosqueteiros morreu em Maastricht? Pois é, tem até uma estátua em sua homenagem. Para quem quiser visitá-la, ela fica no parque Stadspark, perto da rua Aldenhofpark.

Outras Cidades da Holanda que valem a visita:

Existem muitas outras cidades que valem muito a visita por aqui, mas incluí mais 3 locais que eu não visitei para completar uma lista com dez itens para facilitar.

1- Kinderdijk em Molenwaard

Kinderdijk é mundialmente conhecida por ser seus moinhos e foi incluída como Patrimônio Mundial da Humanidade. Os moinhos atraem muitos turistas o que torna a localidade muito famosa.

Você pode visitar num bate-volta de Amsterdã ou num pit stop entre a Bélgica e Holanda.

Em um canal próximo a cidade de Roterdã no século XVIII foram instalados 15 moinhos de vento que tinham a função de drenar a água dos canais, e evitar a inundação das plantações e das casas dos agricultores a cada subida do nível do rio Lek.

Moinhos em Kinderdijk

Hoje os moinhos até continuam funcionando, mas só para os turistas assistirem. Essa drenagem continua necessária, mas atualmente é feita por maquinário moderno. Esse país definitivamente foi todo construído pelas mãos humanas.

2- Gouda

Esse queijo famoso no mundo inteiro vem de uma pequena cidade dos Países Baixos.

No verão recomendo uma visita ao Kaasmarkt (mercado do queijo). Além do delicioso queijo de Gouda, você também vê uma arquitetura bem bonita, datada da Idade Média.

Mercado de Queijo. Foto retirada da Wikipedia

3- Harlem, Países Baixos

Durante séculos, tem sido o centro histórico da produção de tulipas e, pela mesma razão, mantém o nome de ‘Bloemenstad’ (cidade das flores).

4- Parada das flores – Bloemencorso Bollenstreek, Noordwijk (Flower Parade)

Bloemencorso Bollenstreek é um dos desfiles de flores na Holanda e uma das maiores edições do mundo. O evento acontece no final de abril, saudando o início da primavera. O percurso começa no sábado em Noordwijk e termina na cidade de Haarlem no dia seguinte, passando logicamente pela avenida do parque Keukenhof.

Parada das flores. Foto retirada do site bollenstreek.nl

Europa Holanda

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: